Home Notícias Economia Varejo potiguar amarga queda de 10% no bimestre

Varejo potiguar amarga queda de 10% no bimestre

Publicidade

Varejo potiguar amarga queda de 10% no bimestre
Foto: Reprodução / Fala RN
0
Publicidade

O varejo potiguar segue emplacando recordes negativos. De acordo com os dados do IBGE divulgados nesta terça-feira, 12, as vendas relativas ao mês de fevereiro registraram queda de 7,8% no chamado “Comércio Varejista Ampliado” – sempre na comparação com o mesmo mês de 2015. É o pior desempenho para o mês da série histórica, iniciada em 2005. A queda é 2,3 pontos percentuais maior que aquela registrada em fevereiro de 2015.

A retração acumulada pelo varejo norte-rio-grandense no primeiro bimestre de 2016 já é de 10,3%, quase o dobro dos 5,9% de queda registrados em 2015. O tombo das vendas potiguares, desta vez, ficou acima da retração média nacional (que foi de – 5,6% no mês) e também foi maior do que em outros estados nordestinos como Paraíba (-4,4%), Ceará (-7%) e Bahia (-7,2%).

Houve queda nas vendas de praticamente todos os segmentos do varejo, com uma única exceção: Produtos Farmacêuticos e de Perfumaria, setor que emplacou alta de 6,2% no mês. As maiores quedas foram verificadas nos segmentos de Artigos para escritório e informática (- 17,3%), Livros, jornais e revistas (-16,3%), Eletrodomésticos (-13,7%) e Materiais de construção (-11,1%).

“A comparação que nos parece mais justa é esta, de confrontar um mês com o mesmo mês do ano anterior. Esta nova queda, a oitava seguida que registramos desde junho do ano passado, volta a ratificar nossas preocupações com relação ao futuro do setor de Comércio potiguar, que é um dos pilares da nossa economia. O cenário de desemprego em alta (acima de 12% no RN, com 187 mil norte-riograndenses sem emprego), aumento da inadimplência (44,4% das famílias têm dívidas com mais de 90 dias de atraso) e juros nas alturas (taxa média mensal ao consumidor na casa dos 7,9%) é uma combinação explosiva. Precisamos, urgentemente, sentar com os Poderes Públicos e traçar uma estratégia de estímulo ao nosso setor, sob pena de entrarmos num quadro recessivo potencialmente irreversível”, afirma o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do RN, Marcelo Queiroz.

Fonte: Fecomércio RN

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!