Home Notícias Saúde SUS distribui tratamento para Hepatite C

SUS distribui tratamento para Hepatite C

SUS distribui tratamento para Hepatite C
Foto: divulgação
0

Os portadores do vírus da hepatite C poderão contar com o os medicamentos a partir de 2015, o tratamento inclui três tipos de medicamentos e tem atingido a taxa de eliminação de 80% a 90% dos casos da doença.

Conforme o hepatologista e presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia, Edison Parise, esclareceu que o Sofosbuvir, o Daclatasvir e o Simeprevir ainda estão em analises e sendo encaminhados para homologação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A homologação pode ocorrer até o fim do ano, para que os pacientes usufruam dos medicamentos nos primeiros meses de 2015, com períodos de 12 semanas.

O custo dos remédios é altíssimo nos Estados Unidos, chegando a atingir o valor de US$ 120 mil para 12 semanas de tratamento. É por esse motivo que o Ministério da Saúde está em parceria com laboratórios para fazer a compra em valores mais acessíveis, para que esteja disponível no Sistema Único de Saúde (SUS). O chefe do Ambulatório de Hepatites do Hospital de Clínicas da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e membro do Comitê Assessor do Programa de Hepatites do Ministério da Saúde, Raymundo Paraná, informa que se não houvesse esse acordo seria impossível o SUS distribuir os medicamentos. “O SUS não suportaria fazer a distribuição de remédios que custa US$ 120 mil nos Estados Unidos, e medicamentos com esse valor sendo distribuídos em um país como o nosso, que tem limitação orçamentária”, explicou.

Os remédios já foram testados nos Estados Unidos e na Europa e segundo Edison Parise. Houve neste mês, um congresso de especialistas em Boston, que fizeram a demonstração dos resultados em mais de mil pacientes, e afirmaram a eficácia do tratamento. “os pacientes começaram a usar os medicamentos há mais ou menos um ano nos Estados Unidos e agora, no Congresso, foram dadas informações sobre o uso deles. Foram poucas as pessoas incluídas nos estudos, os dados agora trazem um número maior de pessoas tratadas e possuem a mesma quantidade de pacientes curados por volta de 80% a 90%, dos pacientes, com diagnostico de eficácia no tratamento e com menos dor”, acrescentou.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!