Home Notícias Brasil RN Sabia que o Walfredo oferece atendimento em casa?

Sabia que o Walfredo oferece atendimento em casa?

Sabia que o Walfredo oferece atendimento em casa?
Equipe multidisciplinar trata dos doentes em casa (Foto: Divulgação)
0

Uma das maiores unidades de saúde do RN – a maior gerida pelo Estado, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG) oferece, desde 2006, o Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD). O serviço é intermediário entre a rede hospitalar e a atenção básica e tem como missão a assistência integral qualificada ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS), mantendo a continuidade do tratamento em domicílio, de forma humanizada e acolhedora.

Para ter acesso ao SAD, o paciente deve apresentar quadro clínico estável, ser morador de Natal e ter um responsável. Nos últimos sete anos, o serviço já atendeu 2.570 natalenses.

A coordenadora do sistema no RN, Rildete Martins de Sousa, explica como o serviço funciona: “Buscamos diariamente pacientes que tem perfil para este tipo de atendimento. Depois verificamos junto ao hospital a viabilidade da alta e a transferência para sua residência, onde damos início ao acompanhamento diário”.

O Serviço de Atendimento Domiciliar do Walfredo é composto por uma equipe multiprofissional e outra de apoio, compostas por fonoaudiólogo, médico, terapeuta ocupacional, assistente social, enfermeiro, nutricionista, fisioterapeuta, técnico de enfermagem e psicólogo. Atualmente há 104 pacientes com este benefício.

“Este é um programa que veio para ser um diferencial na saúde pública, não só do RN, mas de todo o país. As ações implantadas pelo SAD também contribuem para tirar doentes dos hospitais e lhe proporcionar um cuidado acolhedor, pois o paciente volta para casa”, explica a diretora geral do Walfredo, Maria de Fátima Pereira Pinheiro.

Outro benefício oferecido pelo SAD é a realização anual de cursos gratuitos específicos para formação de cuidadores. Em aulas teóricas e práticas abrangendo as áreas de enfermagem, fonoaudiologia, psicologia e medicina, são abordados temas como doenças da terceira idade, pé diabético, terapia ocupacional (TO), serviço social (direitos e deveres do paciente) e nutrição. Os alunos participam de oficinas de tecnologia assistida (onde cada cuidador aprenderá a confeccionar próteses que proporcionem maior conforto ao paciente como utensílios adaptados para alimentação, para andar ou até mesmo para pentear os cabelos), de fisioterapia (posicionamento, transferência, mobilização e manuseios corretos).

Qualquer pessoa pode fazer o curso de cuidador e não precisa ter formação anterior na área de enfermagem. A única exigência é a faixa etária para participação: a partir dos 18 anos.

Rafael Nicácio Editor e repórter do Portal N10. Já trabalhou na Assecom (Assessoria de Comunicação do Governo do RN) e na Ascom (Assessoria de Comunicação da UFRN).
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!