Robinson e Fábio Faria teriam recebido propina da JBS para privatizar a Caern

Políticos potiguares teriam recebido R$ 5 milhões em propina

O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD-RN) e seu filho, o deputado Fábio Faria (PSD-RN), foram acusados na delação da JBS de terem recebido uma propina no valor de R$ 5 milhões em troca da privatização da Companhia de Águas e Esgoto do Rio Grande do Norte (Caern), divulgou nesta sexta-feira (19) o jornal “O Globo”.

Além das declarações citando Robinson Faria, os empresários da JBS entregaram à Justiça outras provas, como anotações e planilhas com a relação das doações realizadas.

Além de Robinson, outros governadores foram citados na delação. Reinaldo Azambuja (PSDB) e seu antecessor no Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), são citados como beneficiários de pagamentos de R$ 150 milhões entre os anos de 2007 e 2016. A propina teria sido paga em troca de benefícios fiscais recebidos pelo grupo empresarial.

O governador Fernando Pimentel (PT-MG), foi acusado de receber R$ 3,6 milhões no período em que ocupou o ministério do Desenvolvimento na administração Dilma Rousseff. O governador Raimundo Colombo (PSD-SC) é acusado de receber R$ 10 milhões em troca de favorecimento na licitação na companhia de água e esgoto do estado.

Ex-governadores citados:

  • Cid Gomes (PDT-CE) – acusado de receber R$ 20 milhões em troca de liberação de créditos de ICMS;
  • Sérgio Cabral (PMDB-RJ) – acusado de receber R$ 40 milhões em propina;
  • Silval Barbosa (PMDB-MT) – acusado de receber propinas em troca de benefícios fiscais à JBS.

Senadores

Além de Aécio Neves (PSDB), que já foi afastado do Senado, outros senadores são citados. A delação aponta o senador José Serra (PSDB-SP) de ter recebido R$ 20 milhões para campanha. Marta Suplicy (PMDB-SP) teria recebido, segundo os delatores, R$ 4 milhões entre 2010 e 2014.

Há relatos ainda de pagamentos para o deputado João Bacelar (PR-BA) e para o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Outros citados

Também já foram citados na delação da JBS o presidente Michel Temer, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ministros da atual gestão e governadores de estado. Acompanhe aqui todas as notícias relacionadas à delação da empresa.

Nota de Robinson e Fábio Faria

“Sobre a citação do governador do Rio Grande do Norte Robinson Faria e do deputado federal Fábio Faria na delação da JBS, é preciso esclarecer os seguintes pontos: 1 – Ambos informam que conheceram a JBS no período eleitoral e confirmam que receberam doações da empresa citada, somente durante o período de eleições, oficialmente, legalmente, devidamente registradas na Justiça Eleitoral e sem qualquer contrapartida nem ato de ofício; 2 – Não existia, da parte de Robinson e Fábio Faria, qualquer motivo para que houvesse desconfiança em relação à origem da doação feita por meio de contatos do PSD Nacional; 3 – É importante ressaltar que, desde a campanha eleitoral, Robinson Faria tem destacado em inúmeras declarações públicas e entrevistas que não pretende e nem irá privatizar a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN), o que seria, segundo o delator, a motivação do suposto pagamento irregular; Por fim, Robinson e Fábio Faria consideram absurdas as declarações do delator que chama de propina contribuições eleitorais lícitas, com o claro objetivo de se livrar de crimes graves praticados. *Robinson Faria, governador do RN* *Fábio Faria, deputado federal pelo RN*”

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!