Home Notícias Saúde RN terá apoio das Forças Armadas para combate ao aedes aegypti

RN terá apoio das Forças Armadas para combate ao aedes aegypti

Publicidade

RN terá apoio das Forças Armadas para combate ao aedes aegypti
Foto: Divulgação
0
Publicidade

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) confirmou, durante coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (09), a participação das Forças Armadas no combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika vírus, chikungunya e microcefalia. A Secretaria vai contar com um contingente de militares (ainda a ser definido), que será distribuído em nove municípios prioritários: Natal, Parnamirim, Macaíba, Ceará-Mirim, Mossoró, Assu, Caicó, Pau dos Ferros e Santa Cruz.

Os municípios foram escolhidos com base no índice de infestação predial, no déficit em agentes de endemias e pelo fato de serem responsáveis por 80% dos casos de ocorrência de dengue no RN. De acordo com a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Kristiane Fialho, a Sesap deverá se reunir, nos próximos dias, com as Secretarias de Saúde desses municípios para ter a adesão das Prefeituras e definir o número de militares necessário à ação.

A proposta da Secretaria é de que cada agente atue em conjunto com dois militares, potencializando a atuação dos agentes de endemias na identificação e eliminação de focos do mosquito, em domicílios e áreas vulneráveis. A Sesap vai capacitar todo o contingente militar que participará da operação. A Capacitação será dias 22, 23, 29 e 30 de dezembro (terças e quartas-feiras), no CEFOPE.

Durante a reunião, foram divulgados os novos números de microcefalia, dengue, zika vírus e chikungunya registrados no Rio Grande do Norte. Até 5 de dezembro de 2015, foram notificados no estado 106 casos suspeitos de microcefalia relacionada ao vírus zika, dos quais 96,1% dos casos (101) foram em recém-nascidos e 3,8% (4) intra-uterino. Até o momento, são 07 óbitos confirmados de microcefalia. As notificações são provenientes de 35 municípios do RN. Natal reuniu o maior número de ocorrências (34), seguido de Mossoró (10) e Parnamirim (6).

O Brasil registra 1.761 notificações de casos suspeitos de microcefalia relacionada ao vírus Zika, distribuídas em 14 Unidades Federadas (Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Bahia, Alagoas, Ceará, Maranhão, Piauí, Rio de Janeiro, Tocantins, Maranhão, Goiás, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal).

O subcoordenador de Atenção à Saúde (SUAS), João Bosco Filho, apresentou, durante a coletiva, a Nota Técnica expedida pela Sesap direcionada aos profissionais de saúde que atuam na Atenção Básica dos municípios do Rio Grande do Norte. A nota chama a atenção para o reforço aos cuidados com a gestante e o recém-nascido, principalmente no que se refere à vigilância dos fatores de riscos sanitários e associados à gravidez. O texto relaciona treze importantes fatores que vão contribuir diretamente para as ações de prevenção e controle vetorial.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!