Home Notícias Brasil RN Reitora da UFRN sugere agilidade para federalizar os hospitais regionais

Reitora da UFRN sugere agilidade para federalizar os hospitais regionais

Publicidade

Reitora da UFRN sugere agilidade para federalizar os hospitais regionais
Foto: Ivanízio Ramos / Divulgação da Governadoria do RN
0
Publicidade

Uma audiência realizada na noite da última terça-feira (17) na Governadoria do RN tratou da federalização dos hospitais regionais do Estado em Caicó e Currais Novos e da contrapartida financeira da Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (FAPERN) para os projetos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Na reunião estavam presentes a reitora da universidade, Angela Maria Paiva Cruz, o Governador do Estado, Robson Farias, e a secretaria Estadual de Saúde Pública (SESAP), Eulália Albuquerque.

Para a reitora, a consolidação dos cursos da saúde da UFRN nas regiões Trairi e Seridó depende das tratativas contratuais dos hospitais entre o Governo Estadual, UFRN e o Ministério da Educação e Cultura (MEC). Ao pedir agilidade à SESAP nessa questão, Angela Paiva argumentou os impactos na promoção da saúde da população nas regiões e adjacências, a partir da atuação de alunos e professores da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa), em Santa Cruz, e da Escola de Ciências Médicas Multicampi (ECMC), em Currais Novos, Caicó e Santa Cruz.

Formação e atendimento

De 2011 para cá, Caicó, Currais e Santa Cruz são as primeiras cidades beneficiadas com a oferta de cursos da saúde pela UFRN no interior do estado. 136 residentes fazem especialização em Caicó e uma turma cursa mestrado. Eles trabalham 60h semanais, atendendo a população e em julho próximo, o Curso de Medicina Multicampi receberá a sua terceira turma de graduandos.

“Esse é um novo modelo de universidade pública, que oferta serviços para que a população tenha o que precisa”, disse a reitora ao governador. “A academia chegou forte no interior do Rio Grande do Norte, mas precisamos de apoio, contrapartida do Governo do Estado”, completou Edvaldo Carvalho, diretor da Facisa. Com 600 alunos atualmente, a Faculdade tem de demandar os formandos para o estágio obrigatório na capital.

Acompanharam, também, a audiência, o deputado estadual Galeno Torquato, o Pró-reitor adjunto de Planejamento da UFRN, Jorge Dantas, o diretor Administrativo da FAPERN, Tony Robson, a chefe de Gabinete da reitora, Maria Célia Ribeiro, além de assessores e técnicos das áreas de planejamento e jurídica do Estado.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!