Rebaixamento do grau de investimento no País repercute entre deputados

A notícia de que o Brasil perdeu o grau de investimento na classificação de crédito da Standard and Poor’s (S&P – agência internacional de classificação de risco) repercutiu entre os parlamentares.

Enquanto a oposição aproveitou para criticar ainda mais a política econômica, governistas minimizaram a notícia. A nota do País foi rebaixada de grau de investimento (“BBB-“) para uma categoria especulativa (“BB+”), com perspectiva negativa.

O deputado Betinho Gomes (PSDB-PE) disse que a notícia deixa o povo ainda mais apreensivo sobre a situação econômica do País. “Esse é mais um resultado da incompetência do governo federal, que nos coloca num descaminho”, afirmou.

Credibilidade da nota

Já o vice-líder do PT, deputado Ságuas Moraes (MT), afirmou que a agência de classificação de risco errou na avaliação dos papéis imobiliários dos Estados Unidos responsáveis pela crise norte-americana de 2008.

O líder da Minoria, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), no entanto, disse que o governo não pode questionar a credibilidade da nota. Segundo ele, quando o Brasil chegou ao seu melhor grau de investimento, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o País tinha se tornado sério e respeitado. “E o que é o Brasil hoje? Um país não sério? Não respeitado pelo mundo? É uma pena que o brasileiro vai pagar essa conta”, disse.

Para o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI), a notícia é resultado da política desenvolvida há anos. “Tudo isso é consequência de uma política desastrada de 12 anos — não são 12 dias”, criticou.

O impacto negativo da notícia foi minimizado pelo líder do governo, deputado José Guimarães (PT-CE). “Mesmo com esse rebaixamento, ainda é maior que no início do governo Lula e nos anos em que os tucanos estiveram no Poder. Vamos encarar isso com naturalidade”, disse. Segundo ele, a nota pode ser revertida com o ajuste fiscal.

As informações são da Agência Câmara Notícias

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!