Protestos contra terceirização ocorrem em ao menos 22 estados

Sindicatos fizeram nesta quarta-feira (15) protestos em pelo menos 22 estados contra o projeto de lei que regulamenta a terceirização no Brasil, aprovado na Câmara no dia 8. Durante a tarde e início da noite, houve manifestações em São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Sergipe, Bahia e no Distrito Federal. Alguns desses estados, ocorreram atos tanto à tarde quanto pela manhã

Os protestos, que integram o Dia Nacional de Paralisação contra o Projeto de Lei (PL) 4.330/2004, ocorreram ainda em Alagoas, Amapá, Goiás, Piauí, Paraíba, Paraná, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Pará, Acre, Maranhão, Rondônia, Ceará. As manifestações são organizadas por sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e outras centrais sindicais.

Houve paralisações no transporte público em pelos menos cinco capitais, segundo a CUT: Florianópolis, Porto Alegre, Salvador, Recife e Brasília. O Dia Nacional de Paralisação contra a Lei da Terceirização também inclui passeatas, manifestações e paralisações em diversos estados.

Nesta tarde, manifestantes de centrais sindicais se concentraram na Rodoviária do Plano Piloto, em Brasília. Em São Paulo, fizeram um ato político em frente à sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), onde queimaram bonecos representando o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, o deputado federal Paulinho da Força (SD-SP) e o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), fizeram uma caminhada na Avenida Paulista.

No Rio de Janeiro, os manifestantes iniciaram o ato na Cinelândia, em frente à Câmara Municipal, com o apoio de um carro de som. Ocorreram protestos durante a tarde ainda em Belo Horizonte, Salvador, Recife, Natal, Florianopolis e Aracaju. As cidades de Maceió, Fortaleza, Macapá, Goiânia, Teresina, João Pessoa, São Luís, Porto Velho, Rio Branco, Rio de Janeiro e Belém, entre outras, tiveram manifestações pela manhã.

As informações são da Agência Brasil*

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!