Home Notícias Economia Negócios Possível legalização dos jogos de azar no país já atrai investidores estrangeiros

Possível legalização dos jogos de azar no país já atrai investidores estrangeiros

Publicidade

Possível legalização dos jogos de azar no país já atrai investidores estrangeiros
Cassino do Stratosphere em Las Vegas (Foto: Divulgação / Senado Notícias)
0
Publicidade

Nos últimos meses muito tem se falado sobre a legalização dos jogos de azar no país e a proposta que prevê a liberação de bingos, caça-níqueis, jogo do bicho e jogos online está aguardando aprovação do Congresso e do presidente Michel Temer. Porém, empresários estrangeiros do entretenimento já arriscam dizer que a abertura dos cassinos é uma questão de tempo e muitos já trabalham com a expectativa de que os empreendimentos sejam liberados no segundo semestre de 2017.

Sendo assim, empresários de Las Vegas já estão no país negociando possíveis parcerias para abertura de cassinos de luxo em alguns Estados brasileiros, como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Além do incentivo ao turismo, os apoiadores da legalização preveem a criação de 450 mil empregos e arrecadação de R$ 20 bilhões em impostos. Para Leonardo Baptista, CEO do Betmotion – maior site de jogos e apostas online da América Latina – a ideia central da legalização dos jogos é tornar legal aquilo que já ocorre clandestinamente sem gerar qualquer benefício ao Estado.

“Por estarmos nesse mercado há décadas e, por acompanharmos as peculiaridades do mesmo por meio do contato com empresas que operam em outros países e pela nossa participação em congressos e feiras internacionais, podemos afirmar que existe um interesse gigantesco de grandes empresas multinacionais em investir no mercado nacional de forma imediata, tamanho o potencial do nosso segmento. A não exploração desse segmento significa perda de uma importantíssima fonte geradora de arrecadação”, finaliza Leonardo Baptista.

Publicidade

Rafael Nicácio Editor e repórter do Portal N10. Já trabalhou na Assecom (Assessoria de Comunicação do Governo do RN) e na Ascom (Assessoria de Comunicação da UFRN).
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!