Home Notícias Tecnologia Games ‘Pokemon Go’ já é mais usado que Tinder

‘Pokemon Go’ já é mais usado que Tinder

‘Pokemon Go’ já é mais usado que Tinder
0

(ANSA) – Lançado para smartphones e disponível apenas nos Estados Unidos, na Austrália e na Nova Zelândia, o novo aplicativo Pokémon Go já virou um sucesso entre os fãs do game Pokémon criado pela Nintendo nos anos 90.

Após 24 horas do lançamento, o número de downloads nos dispositivos Android já havia superado o app de encontros Tinder, e alcançado o Twitter, tornando-se mais usado que o WhatsApp e o Snapchat. De acordo com a empresa de monitoramento SimilarWeb, o “boom” do aplicativo foi certificado.

O jogo para smartphone faz com que o usuário procure um Pokémon em ambientes reais, como ruas, parques, praias, seguindo orientações que chegam na tela do telefone.

A propagação do jogo em poucos dias também teve consequências inesperadas. Uma menina em Wyoming encontrou um cadáver em um parque enquanto procurava um Pokémon. Já a polícia de Missouri descobriu que alguns adolescentes estavam usando a geolocalização do jogo para roubar as pessoas.

No entanto, os desenvolvedores do jogo, por causa de problemas nos servidores, decidiram suspender temporariamente a sua produção em outros países. “Sabíamos que o jogo seria popular, mas parece que superou as expectativas”, disse o CEO da Niantic Labs, John Hanke.

História

O Pokemón foi lançado para o console portátil da Nintendo, Game Boy, em 1996. Na série de games, o jogador controla um treinador de pequenos monstros que são utilizados em batalhas. A criação virou um grande sucesso entre os adolescentes dos anos 90, além de gerar uma série de desenhos animados, jogo de cartas e longas de animação.

O que é o Jogo?

“Pokémon Go” é um jogo gratuito de realidade aumentada criado para dispositivos móveis Android e iOS. O game que tem o objetivo de capturar os monstrinhos utiliza o sistema de GPS dos smartphones para que os jogadores se desloquem fisicamente a procura de Pokémons.

Como jogar?

Para ingressar na aventura, o jogador visualiza os ambientes reais na tela do celular capturados pela câmera e o aplicativo insere os pokémons nesses lugares. Desta forma, o mundo real se mistura com o virtual com elementos criados pelo aplicativo.

Rafael Nicácio Editor e repórter do Portal N10. Já trabalhou na Assecom (Assessoria de Comunicação do Governo do RN) e na Ascom (Assessoria de Comunicação da UFRN).
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!