Ovacionado, Papa faz discurso inédito no Congresso dos EUA

(ANSA) – Assumindo um espaço nunca dado a um líder da Igreja Católica, o papa Francisco fez nesta quinta-feira (24) um discurso histórico no Congresso dos Estados Unidos, que conta com 70 milhões de católicos. Falando por quase uma hora e fortemente aplaudido, o Pontífice pediu o fim da pena de morte em todo o mundo, condenou qualquer tipo de fundamentalismo, exigiu o acolhimento de imigrantes e condenou o sistema econômico atual baseado em exploração que leva à fome e à pobreza.

Além disso, Francisco pediu “coragem e audácia” aos países que têm diferenças históricas, em uma clara menção às relações diplomáticas dos Estados Unidos com Cuba e Irã. Elogiando o que chamou de “esforços feitos nos últimos meses na tentativa de superar as históricas diferenças ligadas a dolorosos episódios do passado”, Francisco disse que “é seu dever construir pontes e ajudar todo homem e mulher a fazer isso”.

“Quando nações que estavam em desacordo retomam a via do diálogo, novas oportunidades se abrem a todos. Isto exigiu, e ainda exige, coragem e audácia”, afirmou Francisco, discursando em inglês, idioma que treinou durante as férias. No ano passado, o líder católico ajudou a mediar a retomada das relações diplomáticas entre Cuba e Estados Unidos, após mais de meio século de ruptura.

Antes de visitar Washington, Francisco esteve na ilha caribenha, onde se reuniu com o presidente Raúl Castro e seu irmão Fidel, líder da Revolução Cubana. Havia uma grande expectativa sobre a possibilidade do Papa fazer um apelo contra o embargo econômico à ilha. No entanto, o tema não foi citado em seu discurso, que se limitou a exaltar a importância do diálogo e a da construção de pontes.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!