Organizadores recorrem ao Tribunal de Justiça para continuar Festa do Boi

A Associação dos Criadores Norte Rio Grandense (Anorc) apresentou recurso nas primeiras horas desta segunda-feira (12) contra decisão do juiz Deyvis de Oliveira, de Parnamirim. No domingo (11), ele determinou a interdição do Parque Aristófanes Fernandes, suspendendo a Festa do Boi.

Caberá ao desembargador Cláudio Santos julgar o pedido da Anorc, que espera continuar tocando a programação da 53ª edição do evento. A expectativa é que até as 14h, Cláudio Santos tenha se manifestado sobre o assunto, evitando o cancelamento da programação, que, por enquanto, não foi desmarcada.

PROBLEMAS

O Corpo de Bombeiro recusou-se a emitir atestado de vistoria ao observar diferenças entre o que foi pensado no plano de arquitetura e o que foi executado. O principal ponto desse aspecto foi a central de gás, que ficou próxima das áreas de alimentação, o que é considerado um risco.

Além disso, o Ministério Público constatou que o Parque Aristófanes Fernandes também não tem atestado de vistoria. Para entender, mesmo que não sedie nenhum evento, o parque precisa ter permanente atestado. Ao sediar uma festa como a do Boi, emite-se nova autorização específica para ela.

No que diz respeito à estrutura do parque, o MP aponta que a estrutura física desrespeita à legislação sobre acessibilidade, por exemplo. Falhas nos dois aspectos, na festa e no parque, levaram o juiz de Parnamirim a determinar a suspensão do evento.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!