Home Notícias Mundo Obama diz que luta contra Estado Islâmico precisa avançar mais rápido

Obama diz que luta contra Estado Islâmico precisa avançar mais rápido

Obama diz que luta contra Estado Islâmico precisa avançar mais rápido
Foto/Blogging Republic
0

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse, nessa segunda-feira (14), que a luta do país e dos demais aliados contra o grupo extremista Estado Islâmico no Iraque e na Síria foram intensificados, mas reconheceu que são necessários “progressos” e respostas mais rápidas.

Inicialmente otimista, ele afirmou, em discurso durante visita ao Pentágono, que com ataques mais intensos a organização deverá ser enfraquecida e ficará mais difícil difundir sua propaganda para o resto do mundo. “Estamos atacando mais fortemente do que nunca”, destacou, após reunião do Conselho de Segurança Nacional. Em seguida, Obama afirmou que a luta continua difícil e dura e que uma dificuldade é o fato de os extremistas usarem mulheres e crianças vulneráveis” como escudos.

O presidente norte-americano lembrou que, nos últimos dois meses, vários líderes do Estado Islâmico foram abatidos. “A mensagem que fica para eles [líderes] é de que vocês são os próximos”, comentou.

A reunião do Conselho de Segurança e as declarações no Pentágono ocorreram depois que foi intensificado o debate sobre a presença de muçulmanos nos Estados Unidos e a necessidade de resultados mais contundentes contra o grupo.

Antes do atentado cometido por um casal muçulmano na Califórnia – que deixou 14 mortos -, as pesquisas já mostravam que mais de 60% dos americanos desaprovam a forma como Obama tem lidado com a ameaça terrorista, em geral, e com o Estado Islâmico, em particular.

O tema também intensifica o debate presidencial. Pré-candidatos se posicionam em defesa da política de Obama, como a pré-candidata Hillary Clinton, ou contra, defendendo medidas radicais como o fechamento de mesquitas e a suspensão de vistos para muçulmanos, ideia defendida por Donald Trump.

Nesse cenário, Obama disse que radicalizar é a pior medida e que o Estado Islâmico não representa o pensamento muçulmano em geral. Ele acrescentou que não disse que vai mudar a estratégia, mas admitiu: “Reconhecemos que os progressos têm de ser mais rápidos”.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!