O Mediador: Reclame Aqui lança plataforma de mediação online

Ferramenta é a mais nova aliada para que empresas e consumidores resolvam impasses

Todos os dias, 30 mil consumidores relatam seus problemas no Reclame AQUI. Nesse universo, 78% das reclamações são resolvidas, mas 22% permanecem sem desfecho, o que obriga o consumidor a buscar a Justiça para a solução do problema. Em um cenário no qual juizados de pequenas causas estão com 85 milhões de processos na fila de espera, o Reclame AQUI apresenta a ferramenta online O Mediador, que chega para aliviar o impacto no Judiciário.

A plataforma possibilita a clientes e empresas a resolução de problemas diretamente entre si, por meio apenas de um computador ou celular e um mediador. É uma novidade que permite economia de até 80% em relação às vias judiciais. No processo de mediação, basta à empresa fazer o convite para o consumidor, e ele aceitar. As partes, então, podem chegar a um acordo e, em até cinco dias, o problema é resolvido de forma simples e rápida.

“No momento já temos 20 mediadores habilitados, que são formados na plataforma, e outros 140 estão sendo preparados. Nossa meta é chegar até o final do ano com um total de 200”, afirma Carlos Stumpo, CEO de O Mediador. “Temos a expectativa de realizar entre 50 mil e 100 mil mediações por ano, aliviando muito o Judiciário”, completa. Stumpo lembra que, além de toda a comodidade que a ferramenta representa, ela pode significar um novo campo de atuação profissional, para ocupação integral ou parcial.

Apesar de nascer do Reclame AQUI, a plataforma proporciona solução para qualquer tipo de conflito, inclusive aos já judicializados, atuando como uma alternativa mais rápida e de menos atrito na resolução de impasses e, principalmente, como restauradora da relação entre a empresa e o cliente.

A mediação no Brasil

A mediação surgiu em 2006 e ganhou força no Brasil em 2015, com a aprovação da Lei 13.140, com o objetivo desafogar a Justiça e desburocratizar os processos. Antes dessa legislação, o trâmite para a solução de conflitos para o consumidor começava com a contratação de advogado, seguida de entrada com o pedido na Justiça, audiência de conciliação, possível contestação, réplica, tréplica, sentença e eventual recurso.

Todo esse processo levava, no mínimo, seis meses para ser finalizado e custava em média R$ 140 bilhões para o País. Na mediação, não há advogado, audiência, juiz nem burocracia, mas, sim, a vontade das partes de solucionar os problemas, além da figura de um profissional de mediação.

Como funciona

Todo o processo começa com a indicação, pela empresa, dos casos passíveis de mediação. O consumidor recebe uma notificação com as informações necessárias sobre o caso, e cabe a ele aceitar ou não o convite. Os mediadores têm acesso a esses casos e podem escolher quais querem mediar. Uma vez que estejam de acordo, é feita a mediação, e o problema pode ser resolvido.

Os consumidores que já postam suas reclamações no Reclame AQUI agora possuem mais uma forma de resolver seus problemas de forma consensual.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!