Home Notícias Variedades Mundo Pet O cão pode “ler a mente” do seu dono, revela pesquisa

O cão pode “ler a mente” do seu dono, revela pesquisa

Publicidade

O cão pode “ler a mente” do seu dono, revela pesquisa
Foto: Reprodução / Pixabay
0
Publicidade

Você já chegou na casa daquele seu “amigo” e o cãozinho de estimação dele ficou raivoso para o seu lado? Não o culpe, ele pode estar apenas reagindo ao pensamento do seu dono. Uma nova pesquisa revelou que os cães podem dizer o que seus donos pensam sobre outras pessoas através de suas reações.

O melhor amigo do homem se engaja no que é chamado de referência social – onde baseiam a sua resposta a estranhos no modo como seus proprietários agem – e usa essa informação para decidir se quer ser amigável ou hostil. No estudo, liderado por Charlotte Duranton da Universidade de Marselha e publicado na revista Animal Behaviour, a atitude dos cães variaram dependendo se o seu dono se aproximava, permanecia imóvel ou afastado de estranhos.

“Os cães realizam olhares referenciais e alternâncias do olhar entre o estranho e seu proprietário”, disse o relatório para descobrir como eles devem reagir aos estranhos.  Quando os donos recuavam de estranhos, os cães olharam para o estranho significativamente mais cedo e levaram muito mais tempo antes de seu primeiro contato com ele em comparação com quando os proprietários se aproximavam da pessoa.

Os cães também interagiram mais com seus donos quando eles se retiraram, em comparação com quando eles se aproximaram ou permaneciam parados. O fenômeno da referência social também é utilizado por crianças que olham para a reação dos pais a pessoas desconhecidas, antes de formular uma resposta.

Os pesquisadores disseram que seu trabalho sugere uma nova forma de gerir as reações dos cães para pessoas em locais públicos. O sexo dos cães estudados também teve um efeito sobre os seus comportamentos – os do sexo masculino olhavam menos para os seus donos para obter informações.

O tipo de raça foi um fator adicional que influenciou as reações dos cães, com cães maiores, como mastins e buldogues, comportando-se de forma mais independente do que outros cães.  O estudo permitiu aos cientistas afirmarem que ‘cães de estimação usam referência social com o seu dono em um paradigma de abordagem envolvendo um estranho’.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!