Home Notícias Mundo O ano de 2014 tem a possibilidade de ser o ano mais “calorento” dos últimos tempos, diz pesquisa da OMM

O ano de 2014 tem a possibilidade de ser o ano mais “calorento” dos últimos tempos, diz pesquisa da OMM

Publicidade

O ano de 2014 tem a possibilidade de ser o ano mais “calorento” dos últimos tempos, diz pesquisa da OMM
Foto: divulgação
0
Publicidade

O ano de 2014 está quase no seu fim e poderá ser considerado como o ano mais quente já registrado até hoje. A informação vem da Organização Meteorológica Mundial (OMM), que mostrou seus primeiros estudos na Conferência Climática das Nações Unidas, localizado em Lima, no Peru.

No passar da “COP 20”, a agência da ONU mostrou também um antecipado relatório nomeado de “Status Global do Clima 2014”, onde esclarece que de janeiro a outubro de 2014, a temperatura média global, inclusive os oceanos, foi de 14,57 graus centígrados, ou seja, 0,57 graus acima da media registrada entre os anos de 1961 a 1990, tempo esse usado com referência pela Organização Meteorológica Mundial.

O maior índice era de 0,55 grau centígrado acima da média e o mesmo tinha sido mencionado em 2005 e 2010. De acordo com a OMM, se a temperatura do mês de novembro, com o mês de dezembro, continuarem a seguir esse índice, o ano de 2014 com toda a certeza será considerado o ano mais quente desde 1850, quando se deu início a essas pesquisas.

Ainda estando relacionado, a primeira pesquisa mostrada na COP 20, a OMM também diz que a informação oficial acontecerá somente no primeiro trimestre do próximo ano, mas ela mesmo já tem em mente que já é possível identificar que dos últimos 15 anos mais quentes da história pesquisados por especialistas, 14 deles foram constantes no século 21.

Em nota, o secretário-executivo da Organização Meteorológica Mundial, Michel Jarraud, disse que: “O que estamos vendo nesse ano é consistente com o que esperamos de um clima em mudança; as emissões altíssimas de gases-estufa, juntamente às concentrações de gases na atmosfera estão levando o planeta para um futuro perigoso e incerto”.

Vale destacar que a pesquisa da OMM é baseada a partir de dados resgatados pela Agência Americana Oceânica e Atmosférica, conhecida também como NOAA, incluem-se também outras duas agências que contribuem com algumas informações obtidas, bem como a Agência Espacial Americana (NASA) e a Universidade de East Anglia, do Reino Unido.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!