Novas narrativas literárias ao balanço do mar no VII Flipipa

A literatura volta a formar sua moldura imaginária e transformadora na paisagem da praia da Pipa. O mais antigo festival a aportar naquela faixa litorânea, o FLIPIPA, desembarca para sua 7ª edição entre os dias 10 e 13 de agosto, no espaço Pipa Open Air, entrada principal da Baía dos golfinhos.

O festival recebe mais de 40 nomes da literatura brasileira para debater sobre livros, ideias e memórias, e celebrar a história e a cultura popular do Rio Grande do Norte através da figura do intelectual e escritor Hélio Galvão (1916-1981). Em seu centenário de nascimento, o autor de “História da Fortaleza da Barra do Rio Grande” e da série “Cartas da Praia”, será lembrando por seus registros sobre o folclore potiguar, sobretudo as lendas, danças, tipos nativos e costumes da vida litorânea.

Entre os destaques da edição, o Flipipa recebe, pela primeira vez, o escritor potiguar radicado em São Paulo, Estevão Azevedo (sexta-feira, 20h), vencedor em 2015 do prestigiado Prêmio São Paulo de Literatura com o romance “Tempo de Espalhar Pedras”. E marca o retorno de dois grandes romancistas brasileiros: Ignácio de Loyola Brandão (Não Verás País nenhum, Veia Bailarina, Zero), recém agraciado com o Prêmio Machado de Assis pela ABL pelo conjunto da obra, que encerrará a noite de quinta-feira (11); e Cristovão Tezza (O Filho Eterno, O Professor, Breve Espaço entre cor e sombra), considerado um dos mais importantes nomes da literatura brasileira contemporânea. Tezza vai encerrar o Festival, com mesa literária marcada para dia 13, às 21h.

A biografia histórica terá uma atenção especial com a presença do escritor e jornalista Lira Neto (dia 12, às 21h), autor de consagradas biografias como a trilogia sobre Getúlio Vargas, tema que será abordado em sua palestra. Lira mergulha na história e desvenda a trajetória de um dos mais controversos e importantes políticos brasileiros, dos anos de formação à conquista do poder.

Mulheres escritoras e poesia anos 70

A programação noturna da sexta-feira (dia 12, 19h) na Tenda dos Autores será o encontro entre duas mulheres da literatura, as escritoras Marta Barcellos e Sheyla Smanioto Macedo. Vencedoras do Prêmio Sesc Literatura 2015 na categoria conto e romance respectivamente, elas abordarão o tema “Mulheres escritoras: literatura por mulheres e não só para mulheres”.

Outro nome em destaque é a quadrinista mineira Bianca, que ficou famosa com “As tirinhas de Ana Bollenna”. Aos 23 anos, um livro publicado e 320 mil seguidores nas redes sociais, Bianca ganhou fama ao criar tirinhas com conteúdo diverso, poético, romântico, empoderado, com uma forte identificação entre os leitores mais jovens. A mesa poética abrirá o sábado, às 19h, mas antes será exibido o documentário dirigido por Cláudio Lobato e Paola Vieira.

Quadrinhos, fantasia, cultura digital e sertão

A adaptação da literatura para os quadrinhos está em alta. E no Flipipa ela comparece como debate reunindo a roteirista e historiadora Milena Azevedo, o desenhista Leander Moura e o escritor Márcio Benjamin, para falar sobre a relação entre a literatura e as histórias em quadrinhos, abrindo uma discussão entre os termos “adaptação” e “releitura”, e enfocando a adaptação dos contos do livro Maldito Sertão, de Márcio Benjamin, pelo coletivo Quadro 9.

O experiente desenhista Geraldo Borges também marca presença na Tenda dos Autores (dia 11). Com 20 anos de carreira na área de quadrinhos, na última década produziu trabalhos para o mercado norte-americano na Marvel (Nova), Dark Horse (Ghost) e DC Comics (Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Liga da Justiça, Aquaman, Lanterna Verde).

A pluralidade da cultura digital é representada por um artista polivalente: o ator, escritor, poeta e roteirista carioca Gregório Duvivier. Do time de sócios-fundadores do Porta dos Fundos, Duvivier é colunista da Folha e autor dos livros “A Partir de Amanhã eu Juro que a Vida Vai ser Agora”, “Ligue os Pontos – poemas de amor e big bang”, “Put Some Farofa”.

Na abertura da sexta-feira, o intelectual e estudioso da cultura sertaneja Oswaldo Lamartine (1919-2007) será revisitado em documentário dirigido pelo professor Humberto Hermenegildo.

A sessão da tarde/manhã na Tendas dos Escritores e no Espaço Sesc contará com programação voltada para estudantes do ensino médio e fundamental e também professores e público em geral. Estão programadas oficinas e palestras com Andrea Galvão, (“Memória e infância” e “Romances, segredos, mistérios e assombrações na praia de Hélio”), intervenções cênicas com Duda Freire (RN), Grupo Costurando Histórias (RJ)- espetáculo “A Peleja do Violeiro Magrilim com Jezebel”; Leituras com Alice Carvalho e Alexandre Camilo (RJ)- “Invenção de Palavra: Caminhos, Histórias e Escolhas”. Dílvia Ludvichak- SP apresenta “Luiz Lua, Gonzaga Estrela – O Rei do Baião”. E ainda Cordel Animado com Mariane Bigio (PE), contação de histórias com Bárbara Cristina (RN), intervenções cênicas de Gaudêncio e Paulinha (RN).

Du Souto, Alphorria, Café Quarteto e Sesi Big Band

O Flipipa terá uma pré-abertura na quarta-feira (10), com a programação do Assembleia Cultural Itinerante. No palco externo haverá programação de shows todos os dias, após os debates na tenda. De quarta a sábado se apresentam Café Quarteto, Sesi Big Band, Banda DuSouto e Alphorria.

Os encontros literários se dividirão entre a Tenda dos Autores, local climatizado com capacidade para 400 pessoas sentadas, e os espaços do Sesc Literatura (para crianças), Cooperativa Cultural da UFRN, estandes do Sebo Vermelho e Jovens Escribas, além da Cozinha Brasil do SESI, biblioteca móvel do Sesc-BiblioSesc, área de convivência. O local será o espaço Pipa Open Air, na rua Baía dos Golfinhos e conta com estacionamento próprio.

Confira toda a programação no www.flipipa.com.br

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato (contato.portaln10@gmail.com) para solicitar a matéria!