Home Notícias Ciência Nova pesquisa científica revela que os mamutes foram mortos por seres humanos

Nova pesquisa científica revela que os mamutes foram mortos por seres humanos

Publicidade

Nova pesquisa científica revela que os mamutes foram mortos por seres humanos
Foto: Denis Scott/CORBIS
0
Publicidade

Mamutes e outros gigantes da era do gelo não podem ter sido mortos por um asteroide ou o impacto de um cometa, revela uma nova pesquisa. Um estudo realizado por arqueólogos da Universidade College London e da Universidade da Califórnia lançou dúvidas sobre um grande pedaço de evidência que é utilizado para apoiar as teorias de que a explosão de uma rocha espacial desencadeou um período abrupto na mudança climática no final da última era glacial. As informações são do Daily Mail.

Eles descobriram que as gotas derretidas de rochas e solo, conhecidas como escória, que antes se pensava terem sido espalhadas pela explosão, foram de fato criadas pelos incêndios humanos.  Ao estudar o solo encontrado em sítios arqueológicos da Idade da Pedra na Síria, os pesquisadores descobriram que os locais foram espalhados com pedaços esféricos de vidro derretido e carbono. Estes são semelhantes aos de outras gotículas de solo derretidos que foram encontrados espalhados por todo o mundo que antes pensava-se que foram criados pelo impacto de um meteorito.

De acordo com os pesquisadores os resquícios de incêndio foram ocasionados por seres humanos e não por um meteorito. Foto: Reprodução/Daily Mail
De acordo com os pesquisadores os resquícios de incêndio foram ocasionados por seres humanos e não por um meteorito. Foto: Reprodução/Daily Mail

No entanto, eles afirmam que ao invés de ser causado pelo intenso calor de tal impacto, eles foram criados por temperaturas muito mais modestas. Em vez disso, eles dizem que as gotículas derretidas poderia ter sido criadas por incêndios em edifícios da idade da pedra. Os resultados agora dão apoio a outras teorias para o que causou a morte dos mamutes e outros animais de grande porte, como a caça excessiva por humanos e mudanças em seu habitat. Dr Peter Thy, um geólogo da Universidade da Califórnia e autor principal do estudo, disse: “Não há nenhuma evidência para sugerir que as gotas de escória siliciosos resultam de temperaturas muito altas de fusão do solo e são o resultado de um evento cósmico”.

A ideia de que a explosão de um cometa ou asteroide provocou o rápido resfriamento que ocorreu 12.900 anos atrás, foi proposta pela primeira vez por cientistas em 2007. Uma equipe internacional de pesquisadores apresentaram dados sugerindo camadas ricas em carbono pretas encontradas em sedimentos em torno desse tempo que foram causados ​​por um impacto cósmico. Eles dizem que a rocha espacial explodiu causando ventos com força de um furacão e levaram ao colapso as camadas de gelo da América do Norte. Isso teria ocasionado a morte de muitos dos grandes mamíferos – conhecido como megafauna – que percorriam a terra durante o Pleistoceno. A mesma equipe mais tarde afirmou em 2013 que o impacto se espalhou mais de 10 milhões de toneladas de esférulas de vidro derretido e carbono ao longo de uma área de mais de 50.000 mil quilômetros em quatro continentes da Terra.

No entanto, as novas descobertas, publicadas no Journal of Archaeological Science, sugerem que esta prova pode ter sido de fato causado pelo derretimento de terra em incêndios criados por seres humanos. As gotículas estudadas parecia ser composto de material encontrado no local do solo na Síria, em vez de correspondência do solo a partir de outras partes do mundo – o que seria consistente com um impacto de meteorito. Eles argumentam que a terra usada para a construção de edifícios foi muitas vezes feitas com materiais ricos em sílica que poderia derreter a temperaturas de cerca de 800 e 1000 ° C.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!