NASA detecta o maior surto já registrado de uma estrela anã vermelha

O satélite Swift da NASA detectou o flash mais forte de uma estrela anã vermelha. A explosão inicial era 10.000 vezes mais forte do que a maior erupção solar registrada anteriormente

Foto: Divulgação/NASA
Foto: Divulgação/NASA

“Nós costumávamos pensar que os episódios de Flash anã vermelha não duravam mais de um dia, mas o Swift detectou pelo menos sete erupções poderosas durante um período de cerca de duas semanas”, disse Stephen Drake, um astrofísico da Goddard Space Flight Center da NASA, em Greenbelt, Maryland, na apresentação do fenômeno. “Foi um evento muito complexo”, disse ele. As informações são do site Actualidad RT.

Adam Kowalski, diretor do centro de pesquisas espaciais, observou um estudo detalhado do evento e afirmou que os flash’s de grande porte em anãs vermelhas “são extremamente raros”.  O flash veio de uma estrela em um sistema binário próximo conhecido como DG Canum Venaticorum (DG CVn), que está localizado a cerca de 60 anos-luz de distância Terra. Ambas as estrelas são anãs vermelhas cujas massas e tamanhos são aproximadamente um terço do que o nosso sol. Eles orbitam entre si a uma distância média de cerca de três vezes maior que entre a Terra e o Sol.

Segundo a NASA, estas erupções alcançam uma temperatura de 360 milhões graus Celsius, o que é cerca de 12 vezes mais calor do que no centro do Sol. Para se ter uma ideia, um flash do DG CVn era 10.000 vezes mais poderoso do que a maior explosão já registrada no Sol (o mais forte antes que este foi classificado como X 4,5 e ocorreu em novembro de 2003). “Este sistema é pouco estudado, porque não estava em nossa lista de estrelas que podem produzir grandes flash’s”, disse Rachel Osten, astrônomo do Instituto de Ciência em Baltimore. “Não tínhamos idéia de que a DG CVn poderia fazer isso”, concluiu ele.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!