Ministro diz que pode haver redução gradual nas tarifas elétricas

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, disse nesta sexta-feira (14), em visita à sede de Furnas Centrais Elétricas, no Rio, que o custo da energia elétrica no país pode estar iniciando um “ciclo com viés de baixa” nas tarifas. Novas medidas, como a redução da bandeira vermelha, que cai para R$ 4,50 a partir de setembro, podem ser tomadas em outubro e novembro, caso as projeções para o período úmido sejam favoráveis, informou.

“A rampa de descida da tarifa parece algo bastante robusto”, afirmou Braga. “Estamos a cada dia tendo mais eólicas, térmicas e hidráulicas em um custo diferenciado do que estávamos usando”, acrescentou o ministro. Ele lembrou que as usinas térmicas, mais caras, estão dando lugar a unidades com menor custo no abastecimento.

A entrada das usinas hidroelétricas Teles Pires e Belo Monte no sistema, até os primeiros meses do ano que vem, e a chegada de novas máquinas às usinas de Santo Antônio e Jirau devem contribuir para reduzir o custo de geração de energia. Outros fatores são a safra da biomassa e o período favorável do vento para as eólicas.

“Da mesma forma que tivemos coragem de fazer o realismo tarifário, puxando para cima, no início do ano, temos que fazer o ajuste para baixo, quando os custos puxam para baixo. E vamos fazer”, afirmou Braga.

O ministro informou que a redução será gradual. “Tudo está planejado para que tenhamos uma escadinha ao contrário, uma descida da tarifa degrau a degrau, com responsabilidade, com segurança e de forma conservadora. Ninguém quer precipitar.”

Agência Brasil 

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!