Ministério da Fazenda faz pedido de 3.500 vagas para concurso público

O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) confirmou que o Ministério da Fazenda realizou pedido de 3.500 vagas para realização de concurso público, sendo 3.000 para assistente técnico-administrativo e 500 para analista administrativo.

Para se candidatar ao cargo de assistente técnico-administrativo, é necessário possuir escolaridade de nível médio, enquanto que a carreira de analista administrativo necessita de formação de nível superior. De acordo com a atual tabela de remuneração, os salários oferecidos são de R$ 3.671,82 para assistente e de R$ 4.884,02 para analista.

O pedido para a abertura do novo concurso público continua em trâmite na pasta, segundo informações da Coordenação-geral do Setor de Desenvolvimento Econômico e Produtivo do MPOG.

O presidente do SindFazenda (Sindicato Nacional dos Servidores Administrativos do Ministério da Fazenda), Luis Roberto da Silva, afirmou que essa quantidade de postos ainda não preenche o déficit de servidores do órgão, que todo ano aumenta. “Grande parte das pessoas que prestam o concurso tem idade entre 20 e 23 anos e está cursando o nível superior ou até mesmo já concluiu”, informou o presidente ao explicar que este é um dos motivos da alta defasagem de funcionários. Antigamente, os concursados ocupavam o cargo público durante muitos anos, mas, hoje, eles prestam outros concursos com o objetivo de buscar melhores oportunidades de trabalho.

No último concurso do Ministério da Fazenda, realizado em 2014, foram oferecidas 1.026 vagas para o cargo de assistente técnico-administrativo e remuneração de R$ 3.050,82. Do total de vagas, 66 foram reservadas a candidatos portadores de deficiência.

As provas foram sobre Língua Portuguesa, Matemática e Raciocínio Lógico, Conhecimentos de Informática, Atualidades, Gestão de Pessoas e do Atendimento ao Público, Ética do Servidor na Administração Pública, Administração Pública Brasileira e Regime Jurídico dos Agentes Públicos. No caso de analista, o último concurso, para 192 vagas, foi aberto em 2013, tendo sido admitida a formação superior em qualquer área para o ingresso no cargo.

De acordo com a banca organizadora da seleção, foram feitas 263.770 inscrições, uma média de 272,84 candidatos por vaga. Já para as 66 vagas reservadas para candidatos deficientes foram realizadas 1.843 inscrições e concorrência de 27,92 por vaga.

Sobre os cargos

A carreira de assistente técnico-administrativo exige certificado de ensino médio, enquanto que a função de analista administrativo necessita de formação superior.

Segundo consta na atual tabela de remuneração dos servidores federais, os vencimentos oferecidos são de R$ 3.671,82 para assistente e de R$ 4.884,02 para analista. Nesses valores já está incluso o vale-alimentação de R$ 373.

Apesar de não terem sido revelados os cargos e os Estados que serão contemplados no próximo processo seletivo, é bem provável que o concurso tenha vagas para São Paulo (SP) e o Distrito Federal (DF). Tudo isso porque o último concurso, que ocorreu em 2013 e ainda está vigente, abriu 1.026 oportunidades para assistente e não apresentou chances para SP e DF, pois, na ocasião, o processo seletivo anterior, de 2012 (com 463 vagas de nível médio distribuídas entre SP e DF), não tinha expirado – entretanto, a validade deste certame chegou ao fim no último mês de novembro.

O detalhe do processo seletivo que pode ser dado como certo é a escolha da empresa organizadora, que provavelmente será a Esaf (Escola de Administração Fazendária), como de costume nos concursos do órgão. Assim, os candidatos podem ir se preparando com as provas e os editais de seleções anteriores, uma vez que a banca se repete.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!