Home Notícias Mundo Militares dos EUA divulgam vídeo do ataque ao “EI”, na Síria

Militares dos EUA divulgam vídeo do ataque ao “EI”, na Síria

Publicidade

Militares dos EUA divulgam vídeo do ataque ao “EI”, na Síria
0
Publicidade

Na noite de ontem (22), o porta-voz do Pentágono, almirante John Kirby, confirmou o ataque ao Estado Islâmico através de sua conta oficial no Twitter. Os ataques dos EUA contra os alvos militares na Síria durante a noite de ontem eram “apenas o começo de um esforço persistente de coalizão para se degradar e, finalmente, destruir os militantes do ISIS e outros grupos extremistas”, disseram os militares americanos. As informações são do Daily Mail.

Navios lançando mísseis contra a Síria
Navio lançando mísseis contra a Síria

Os ataques aéreos – com mísseis Tomahawk US, lançados dos navios, caças de guerra B1, F16, F18 e F22 e drones – teve o apoio da Arábia Saudita, Bahrein, Catar, Jordânia e Emirados Árabes Unidos. O porta-voz do Comando Geral das Forças de Defesa do Bahrein disse que os ataques fazem parte “dos esforços internacionais para proteger a segurança regional e a paz no mundo”.

Havia também um outro ataque por parte dos EUA ao misterioso Khorasan Group, filiados à Al Qaeda, em uma localização diferente dos militantes islâmicos na Síria.  “Eu posso te dizer que os ataques de ontem à noite foram apenas o começo”, disse o almirante John Kirby, porta-voz do Pentágono. O almirante também disse que os ataques tinham sido “muito bem sucedidos” e continuaria, sem entrar em mais detalhes sobre os futuros planos operacionais.

Mais cedo o presidente dos EUA, Barack Obama, disse que a participação das cinco nações árabes “deixa claro para o mundo que não é uma luta exclusiva da América”

Em uma coletiva de imprensa, poucas horas após os ataques durante a noite, Obama disse que a luta conjunta contra o ISIS vai levar tempo – mas continua a ser vital para a segurança dos Estados Unidos, no Oriente Médio e no resto do mundo. Ele disse que não era possível saber quanto tempo irá durar as operações dos EUA contra os militantes do Estado islâmico na Síria e no Iraque. Em uma carta ao Congresso após os ataques aéreos, Obama disse: “Não é possível saber a duração destas implantações e operações”.

Os restos de uma casa em uma vila perto de Aleppo são inspecionados após ser destruída
Os restos de uma casa em uma vila perto de Aleppo são inspecionados após ser destruída

Os líderes militares disseram que cerca de dois terços dos cerca de 31 mil militantes do Estado Islâmico estavam na Síria. Em um discurso de 10 de setembro, Obama prometeu ir atrás dos militantes do Estado islâmico onde quer que estejam. E seus líderes militares e de defesa, disse ao Congresso na semana passada que os ataques aéreos dentro da Síria são destinadas a interromper o impulso do grupo e dar tempo para os EUA e aliados para treinar e equipar os rebeldes sírios moderados. “Eu tenho deixado claro que vamos caçar terroristas que ameaçam o nosso país, onde quer que estejam”, disse Obama. “Isso significa que eu não hesitarei em tomar medidas contra a ISIS na Síria, assim como o Iraque. Este é um princípio fundamental da minha presidência: se você ameaçar os Estados Unidos, você não vai encontrar nenhum porto seguro “.

Até o momento os aviões de caça dos EUA lançaram cerca de 190 ataques aéreos no Iraque. Incentivados pelos militares e funcionários da Casa Branca e dos Estados Unidos, o Congresso aprovou a legislação na semana passada que autoriza os militares a armar e treinar rebeldes sírios moderados. Obama assinou o projeto de lei sexta-feira, oferecendo US $ 500 milhões para os EUA para treinar cerca de 5.000 rebeldes durante o próximo ano.

Fugindo: sírios carregam seus pertences perto da fronteira com a Síria
Fugindo: sírios carregam seus pertences perto da fronteira com a Síria

Com informações do Daily Mail

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!