Home Notícias Mundo Macri quer revitalizar relação com Brasil, diz ministro

Macri quer revitalizar relação com Brasil, diz ministro

Macri quer revitalizar relação com Brasil, diz ministro
Dilma Rousseff recebe Maurício Macri, Presidente eleito da República Argentina (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR )
0

(ANSA) – O ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Armando Monteiro, disse hoje, dia 10, que o novo presidente da Argentina, Mauricio Macri, dá “sinais claros” de que uma parceria com o Brasil é “fundamental e estratégica” para seu país.

Segundo ele, o fato de Macri ter escolhido o Brasil como seu primeiro destino internacional após ser eleito, no final de novembro, é bastante simbólico.

Monteiro explicou que o comércio entre os países caiu nos últimos anos “por motivos internos de Brasil e Argentina”, mas que ele “precisa ser revitalizado” e essa parece ser uma boa oportunidade para isso. O mandatário argentino defendeu, ainda durante sua campanha eleitoral, a diminuição das restrições impostas pelo kirchnerismo.

“Ele [Macri] tem uma posição pró-comércio bastante aberta” e é esperado um aumento no fluxo comercial entre os países vizinhos.

Atualmente, o Brasil é o maior parceiro comercial da Argentina, sendo o principal destino de suas exportações e fornecedor de produtos. No ano passado, o intercâmbio bilateral alcançou a marca de US$ 28,4 bilhões. UE – O ministro ainda elogiou a disposição de Macri para acordos internacionais. Ele lembrou que um tratado entre Mercosul e União Europeia (UE), travado anteriormente por exigências da Argentina, “é prioritário”.

Após dizer que a proposta brasileira para o bloco europeu está pronta e “tem bom ponto de partida”, Monteiro confessou acreditar que a UE estava esperando o resultado do pleito na Argentina para dar continuidade aos debates.

Atualmente, a União Europeia é o maior parceiro comercial do Mercosul, respondendo por 20% do comércio do bloco sul-americano.

TPP

Sobre o histórico Acordo de Associação Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), ele disse que o Brasil estuda a possibilidade de se integrar, mas que é preciso estudar e conhecê-lo melhor. “Com um acordo desta magnitude, existe consequências em outras parcerias”, apontou.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!