Home Notícias Saúde Laranja e uva podem ajudar no combate à obesidade, diabetes e doenças cardíacas

Laranja e uva podem ajudar no combate à obesidade, diabetes e doenças cardíacas

Laranja e uva podem ajudar no combate à obesidade, diabetes e doenças cardíacas
Foto: Pixabay
0

Laranjas e uvas podem ser a chave para combater a crise de obesidade. Dois compostos encontrados nos dois frutos poderiam também, quando combinados, ajudar no combate à diabetes e doenças cardíacas, revelaram especialistas.

Pesquisadores da Universidade de Warwick combinaram em uma pílula o trans-resveratrol, um composto encontrado em uvas vermelhas, e a hesperetina, uma substância encontrada em laranjas. Essa pílula, esperam os cientistas, no futuro poderia oferecer um novo tratamento para combater as três doenças mortais.

O professor Paul Thornally, que liderou a pesquisa, disse: “Este é um desenvolvimento muito excitante e poderia ter um enorme impacto sobre a nossa capacidade para tratar essas doenças. Além de ajudar no tratamento de diabetes e doenças cardíacas, poderia desarmar a bomba-relógio da obesidade”.

Quando administrado em conjunto, os dois compostos atuam para diminuir a glucose no sangue, melhorar a ação da insulina e melhorar a saúde das artérias. Os compostos trabalham no aumento dos níveis de uma proteína chamada glyoxalase 1 (Glo1), que neutraliza os efeitos prejudiciais de um composto derivado de açúcar, chamado metilglioxal (MG), um contribuinte principal para os efeitos nocivos do açúcar.

O aumento da acumulação de MG, como resultado de uma dieta rica em energia, é um fator determinante de resistência à insulina, o que leva a diabetes do tipo 2. Também podem danificar os vasos sanguíneos e prejudicar a forma como o corpo lida com o colesterol, o qual está ligado a um risco aumentado de doença cardíaca.

O bloqueio do MG melhoria da saúde em pessoas com sobrepeso e obesidade, e provavelmente vai ajudar os pacientes com diabetes e alto risco de doença cardiovascular.

Embora os mesmos compostos sejam encontrados naturalmente em algumas frutas, as quantidades e tipos necessários para a melhoria da saúde não pode ser obtida a partir de um aumento do seu consumo. Doses farmacêuticas para doentes com obesidade, diabetes e alto risco de doença cardíaca podem ser administradas em forma de cápsula.

Para chegar a conclusão os pesquisadores fizeram uma série de testes. Trinta e duas pessoas com sobrepeso e obesas com idade entre 18 e 80 anos, com um IMC entre 25-40 receberam o suplemento em forma de cápsula uma vez por dia durante oito semanas.

Eles mantiveram a sua dieta habitual que foi monitorada através de um questionário e foram convidados a continuar a tomar a mesma quantidade. Alterações em seus níveis de açúcar foram verificados, e a saúde da artéria medida pela flexibilidade da parede da artéria e outras avaliações foram analisadas usando testes de sangue.

As pessoas com excesso de peso que tinham IMC de mais de 27,5, com o tratamento tiveram aumento da atividade do Glo1, diminuição dos níveis de glicose, melhoria de trabalho de insulina, função das artérias melhorada e diminuição da inflamação dos vasos sanguíneos.

De acordo com o professor Thornalley “é importante ressaltar que a atividade física, dieta, outros fatores de estilo de vida e tratamentos atuais devem ser respeitados”. Ele também advertiu sobre tentar obter estes compostos essenciais apenas nos frutos. “Estes compostos devem ser consumido em doses farmacêuticas. Se eles fossem ser consumidos diretamente de laranjas e uvas vermelhas a pessoa média teria que consumir cerca de 10 litros de suco de laranja e suco de uva todos os dias. Seria muito alta a ingestão de açúcar e teria efeitos opostos ao objetivo da cápsula. O resultado final é que eles são encontrados em frutas, mas não ao ingeri-las diretamente”, concluiu.

As informações são do Daily Mail

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!