Justiça proíbe operadoras de cortar internet móvel ao fim da franquia

Os usuários de internet móvel do Acre não irão mais sofrer com o corte do serviço ao fim da franquia, graças a uma decisão da Justiça local. De acordo com o site Olhar Digital, o juiz Louis Arruda, do Tribunal de Justiça do Acre, determinou que Claro, Oi, Tim e Vivo mantenham seus planos como eram, oferecendo internet reduzida quando a franquia terminar.

O magistrado acatou um pedido do Procon e da Defensoria Pública do Estado. Para ele, a mudança no modelo de negócios é “abusiva” e “ilegal” porque as operadoras não informaram os consumidores com clareza. “Alteraram unilateralmente cláusulas restritivas de direito nos referidos contratos, agindo e procedendo de maneira incompatível e inadequada com o objeto do contrato”, escreveu ele na decisão, publicada ontem.

“As operadoras de telefonia móvel são impulsionadas, certamente, pela busca de maiores lucros, e não, como sustentam, na satisfação dos consumidores, com uma melhor prestação de serviços, notadamente quando, se vê, que as mencionadas empresas disponibilizam aos consumidores, ao fim das franquias contratadas, a possibilidade de migrarem ou contratarem novos planos com valores maiores de mensalidade, além da fatura já contratada.”

A ação pode fazer com que os Procons de outros Estados também entrem na briga para acabar com o corte da internet ao fim da franquia.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!