Home Notícias Variedades Facebook amplia opções de gêneros para além do masculino e feminino

Facebook amplia opções de gêneros para além do masculino e feminino

Publicidade

Facebook amplia opções de gêneros para além do masculino e feminino
Foto: Reprodução
0
Publicidade

O Facebook habilitou no Brasil, nesta segunda-feira (2), o recurso que permite que usuários personalizarem o campo “gênero”, nas informações básicas do perfil. Com isso, acabou a exclusividade de “masculino” e “feminino”, e os cadastrados podem escolher qualquer definição.

Na versão brasileira da categoria “gênero”, há agora 17 novas identidades, como por exemplo: Travesti, Homem transexual, Mulher transexual, Trans homem, Trans mulher, Cross gender. Com o recurso, mais pessoas vão encontrar o gênero com que se identificam e criar um perfil mais adequado à sua realidade. Quem não encontrar, pode ainda escolher a alternativa “personalizado” e digitar o gênero que a representa.

De acordo com Bruno Magrani, líder de políticas públicas do Facebook Brasil, a novidade atende a uma demanda de usuários que não se sentiam confortáveis com as definições tradicionais. “Trabalhamos baseados no feedback do nosso público. Apresentamos o recurso para que pessoas que não se enxergam nos grupos ‘masculino’ e ‘feminino’ fiquem confortáveis para usar outra denominação”, afirmou, em evento na sede brasileira do Facebook, em São Paulo.

Outros países já adotaram o recurso, chamado “Custom Gender” (gênero personalizado): Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Itália, Alemanha, Dinamarca, Austrália, França, Espanha e Argentina. Segundo o Facebook, os países são escolhidos de acordo com as demandas do público local. “Existem culturas que são mais abertas a esse tipo de ferramenta, outras, não”, diz Magrani

Os usuários da rede podem ainda determinar a quem querem exibir sua opção de gênero – para amigos, grupos ou para toda a rede. A personalização também possibilita escolher o pronome pelo qual o usuário será tratado: “ele”, “ela” ou “neutro”.

Estados Unidos saíram na frente

O primeiro país a implantar essa mudança foram os Estados Unidos, no início de 2014. Inicialmente, o recurso consistia apenas na ampliação da lista de gêneros oferecidas. Recentemente, foi oferecida ao usuário a opção de escrever seu gênero, para aqueles que não se identificam com nenhuma das opções.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!