Home Notícias Ciência Estudo revolucionário abre caminho para erradicar o vírus HIV

Estudo revolucionário abre caminho para erradicar o vírus HIV

Publicidade

Estudo revolucionário abre caminho para erradicar o vírus HIV
Foto: Adair Gomes/ Imprensa MG
0
Publicidade

Um novo estudo realizado por um grupo de cientistas da Universidade de Oxford (Reino Unido) e da Universidade de Nova Gales do Sul (Austrália) abre caminho para entender o fenômeno que ocorre quando o vírus da imunodeficiência humana (HIV) permanece indetectável, em alguns pacientes, por meses e até mesmo anos após a interrupção da terapia antirretroviral (ART, sigla em inglês). A pesquisa pode ajudar a entender processos no corpo após a interrupção do tratamento, o que é crucial para a erradicação do HIV.

Em geral, nas pessoas que interrompem a ART o  vírus  pode ser detectado de novo na corrente sanguínea numa questão de dias, mas esta regra não é comum a todos os pacientes. O estudo identificou que existem certos marcadores nas células do sistema imunológico que parecem prever quem pode interromper a terapia e ficar bem.

Vírus HIV atacando a célula (Foto: Universidade de Nova Gales do Sul)
Vírus HIV atacando a célula (Foto: Universidade de Nova Gales do Sul)

Para o estudo, os pesquisadores compararam as células T, que são parte do  sistema imunológico  do corpo humano, em 154 pacientes da Europa, Brasil e Austrália, que interromperam sua terapia antirretroviral após um período de entre 12 e 48 semanas desde o início, e desenvolveram uma lista de 18 biomarcadores imunológicos. Após estudos, os cientistas descobriram que três deles, o PD-1, Tim-3 e LAG-3 têm a propriedade de prever quando o vírus retornará novamente.

Agora os pesquisadores estão considerando manipular células imunitárias com os marcadores mencionados para ajudar a encontrar maneiras de controlar o HIV após a terapia anti-retroviral e, consequentemente,  erradicar  o vírus.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!