Home Notícias Esporte Escândalo da FIFA pode fazer com que acordo de transmissão da Libertadores seja investigado

Escândalo da FIFA pode fazer com que acordo de transmissão da Libertadores seja investigado

Escândalo da FIFA pode fazer com que acordo de transmissão da Libertadores seja investigado
0

O valor que o grupo FOX paga à Conmebol para transmitir a Libertadores da América é desconhecido pelo mercado, uma vez que a emissora é, na prática, co-organizadora da competição. Ao certo, sabe-se que o acordo é responsável por uma das maiores caixas pretas do futebol sul-americano.

De acordo com informação publicada pelo jornalista Felipe Lobo para o site Trivela, um dos 14 indiciados pelo FBI no escândalo de corrupção é personagem-chave para a negociação de direitos de TV da Libertadores e de várias competições sul-americanas: Alejandro Burzaco, executivo-chefe da argentina Torneos y Competencias.

A empresa é contratada pela Fox para produzir o canal Fox Sports Latinoamérica, subsidiária da Fox na América do Sul. Nas palavras da própria empresa em seu site, “TyC produz a Fox Sports para todo o cone sul, dos seus próprios estúdios de TV sediados no prédio da rua Balcarce”. Além disso, a empresa negocia direitos de transmissão (assim como a Traffic, de J. Hawilla), é dona da revista El Gráfico e tem 50% do canal TyC Sports (os outros 50% são do grupo Clarín, um dos principais conglomerados de mídia da Argentina).

A empresa foi a detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Argentino com exclusividade entre 1985 e 2009, quando foi criado o Fútbol Para Todos, um projeto de nacionalização do futebol argentino e que também enfrentou acusações de corrupção. Mas vai além disso.

A TyC é uma das mais importantes empresas de negociação de direitos esportivos na Argentina, exercendo um papel parecido com a da Traffic de J. Hawilla no Brasil. E apesar de ter perdido os direitos de transmissão do Campeonato Argentino para o governo, é justamente a administração de Cristina Kirchner o principal cliente da Torneos. Afinal, o poder federal estatizou o futebol com o Fútbol para Todos, mas como não é uma emissora de TV, contrata justamente a Torneos para fazer as transmissões de jogos da segunda divisão e de alguns jogos da primeira. Por esse serviço, o governo pagou 44,2 milhões de pesos argentinos (R$ 15,7 milhões) à empresa entre 2010 e 2012.

Outro ponto que faz a Torneos ganhar dinheiro é a venda de direitos de transmissão. O governo comprou da Torneos a os direitos da Copa do Mundo de 2014 (e contratou a empresa para fazer a transmissão), a Copa América, o Sul-Americano sub-20 e o Mundial sub-20, pelos quais pagou US$ 20 milhões (cerca de R$ 63,5 milhões), para serem exibidos no Canal 7 e DeporTV.

É uma relação constante. Afinal, a Torneos também é cliente do governo argentino: compra do governo argentino os direitos do Campeonato Argentino para vendê-los no exterior – razão pela qual o Fox Sports, operado pela empresa argentina na América Latina, é dona deles no Brasil. Segundo dados da Auditoría General de la Nación (AGN), a empresa pagou 54 milhões (R$ 19 milhões) de pesos argentinos por estes direitos em 2011 e 2012.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!