Home Notícias Brasil DF DF registra 35 casos de superbactéria ao longo deste ano

DF registra 35 casos de superbactéria ao longo deste ano

DF registra 35 casos de superbactéria ao longo deste ano
0

Desde o início de 2015 a Secretaria de Saúde já registrou contaminação por superbactérias em quatro unidades: hospitais regionais de Taguatinga, Guaráx e Santa Maria, além da UPA de Sobradinho. Ao todo, 35 pessoas apresentaram micro-organismos do tipo. Representantes da Secretaria de Saúde e técnicos da Anvisa se reúnem nesta sexta-feira (5) para avaliar as ocorrências.
A última ocorrência é de uma mulher de 83 anos. Infectada com a bactéria multirresistente KPC, ela foi transferida da UPA para o Hospital Regional de Sobradinho nesta quinta. Segundo o filho, João Francisco Martins, a idosa foi internada há duas semanas com quadro de pneumonia e contraiu a nova infecção no hospital. Na última quarta-feira, 04 de junho, a Secretaria de Saúde informou que 16 pacientes estavam isolados no Hospital Regional de Santa Maria com a bactéria multirresistente (superbactéria) Acinetobacter baumannii.

A última ocorrência é de uma mulher de 83 anos. Infectada com a bactéria multirresistente KPC, ela foi transferida da UPA para o Hospital Regional de Sobradinho nesta quinta (Foto: Reprodução / TV Globo)
A última ocorrência é de uma mulher de 83 anos. Infectada com a bactéria multirresistente KPC, ela foi transferida da UPA para o Hospital Regional de Sobradinho nesta quinta (Foto: Reprodução / TV Globo)

O termo “superbactéria” vale para bactérias que desenvolvem resistência a grande parte dos antibióticos. Enzimas passam a ser produzidas pelas bactérias devido a mutações genéticas ao longo do tempo, que tornam grupos de bactérias comuns como a Klebsiella e a Escherichia, resistentes a muitos medicamentos.

Meios de Contaminação

As superbactérias podem se disseminar no ambiente hospitalar, em geral, por meio da transmissão cruzada entre pacientes. Isso é, são transportadas de um paciente a outro por meio das mãos dos profissionais de saúde. A contaminação do local, especialmente por meio dos equipamentos e superfícies próximas ao paciente, também pode contribuir para essa transmissão.

Uma característica importante da KPC é que, além de se multiplicar com rapidez, ela tem a capacidade de transmitir para outras bactérias o gene produtor da enzima, que destrói os antibióticos.

Tratamento e prevenção

De acordo com a médica infectologista e coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Israelita Albert Einstein, Dra. Luci Correa, o uso abusivo de antibióticos para tratamento de infecções em geral pode deixar as bactérias ainda mais resistentes.

Com informações do G1 e do Hospital Israelita Albert Einstein

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!