Home Notícias Brasil RN Plantão Policial Detentos fazem rebelião no Presídio Estadual de Parnamirim

Detentos fazem rebelião no Presídio Estadual de Parnamirim

Publicidade

Detentos fazem rebelião no Presídio Estadual de Parnamirim
Foto: Reprodução / WhatsApp
0
Publicidade

Os detentos do Presídio Estadual de Parnamirim (PEP) iniciaram uma rebelião no início da noite desta quarta-feira (3) com o objetivo de destruir os bloqueadores de sinal telefônico instalados recentemente na unidade e que passaram a funcionar na terça (02)..

Segundo informações de agentes do PEP, os presos atearam fogo em colchões nos muros logo abaixo de onde estão instalados os aparelhos e arremessaram objetos contra os bloqueadores.

O helicóptero da Secretaria de Segurança, o Potiguar 01, auxiliou na ação da polícia. Além dos agentes da unidade, policiais militares do 9º Batalhão e do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) atuam na contenção dos presos. Logo após o início da rebelião, as chamas foram contidas e o equipamento bloqueador de sinal não foi danificado.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um carro foi abandonado ao lado do PEP, dentro do veículo foi encontrado rádios comunicadores, armas, celulares e algumas munições.

Bloqueadores

Os bloqueadores de sinal de celular começaram a ser instalados durante a quinta-feira (28/07) na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP). O sistema de bloqueio impede que presos façam ou recebam ligações de dentro do presídios.

Atentados

A Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesed) já registrou 96 ataques em 33 cidades do Rio Grande do Norte nos últimos cinco dias. Até às 19h30 desta quarta, 86 pessoas foram presas suspeitas de envolvimento nos ataques.

A instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária de Parnamirim, na Grande Natal, é apontada pelo governo como motivo dos atentados ocorridos nos últimos no Estado.

*Atualizado às 22h43 para adição de informação

Publicidade

Rafael Nicácio Editor e repórter do Portal N10. Já trabalhou na Assecom (Assessoria de Comunicação do Governo do RN) e na Ascom (Assessoria de Comunicação da UFRN).
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!