Home Notícias Variedades Curiosidades De onde vem a cera que temos nos ouvidos?

De onde vem a cera que temos nos ouvidos?

De onde vem a cera que temos nos ouvidos?
0

É um assunto meio nojento, mas já se questionou porque temos cera nos ouvidos? Para que serve e como é formada a cera dos ouvidos?

O que é a cera, cerúmen ou cerume?
A vulgarmente conhecida como “cera de ouvido” é segregada através de glândulas sebáceas localizadas no canal auditivo externo, chamado de meato acústico externo. Esta secreção é produzida aos poucos e de forma completamente involuntária e espontanea.

Para que serve a cera do ouvido?
A cera do ouvido tem uma função anti-microbiana, ou seja, protege-nos de micróbios e bactérias do ar, que poderiam invadir o nosso organismo através dos ouvidos, caso não existisse qualquer proteção nos mesmos. Desta forma, a cera ou cerume, constitui uma barreira de proteção que tapa e lubrifica o canal auditivo. A sua consistência pegajosa “agarra” qualquer material estranho que tente entrar no orifício auditivo, evitando infeções e problemas de saúde.

Tem um pH de 4 a 5 unidades, sendo portanto um pH ácido, o qual é evitado pela maioria dos organismos que possam tentar invadir o canal auditivo externo.

Esta espécie de creme gorduroso e peganhento, ajuda a diminuir infeções, como é o caso da otite externa aguda. Quando este problema surge, o doente sofre uma quebra da camada protetora do canal auditivo, a epiderme, muitas vezes causada por limpezas inadequadas do ouvido, com objetos que não são indicados para o efeito. Organismos estranhos, normalmente as Pseudomonas aeruginosa e Staphylococcus, conseguem assim penetrar no canal auditivo, causando infeções, principalmente se existir humidade e temperaturas propícias ao seu desenvolvimento.

Como é formado o cerume ou cera do ouvido?
No canal do ouvido existem várias estruturas que funcionam em conjunto para formar o cerume. Mil a duas mil glândulas ceruminosas, em forma de tubo espiral, produzem peptídeos, em que a abertura das glândulas sebáceas no folículo piloso do canal segregam ácidos saturados e insaturados, produzindo-se assim o cerume. As células epiteliais (da pele) do ouvido são semelhantes às existentes na pele, passando por fases de renovação, originando pele morta, que no caso do ouvido é mais difícil de ser eliminada para o exterior. O cerume é constituído assim por 60% dessa pele. O cerume é ainda formado por lisozima, uma enzima capaz de destruir a parede celular das bactérias.

Cuidados a ter com a cera dos ouvidos
Retirar a cera dos ouvidos com objetos inadequados, como é o caso de lápis, chaves ou outros objetos, pode ser muito perigoso e originar infeções e problemas nos ouvidos. A cera é a defesa usada pelos nossos ouvidos contra organismos estranhos e por essa razão não deve ser removida constantemente nem de forma inadequada. Alterações no organismo podem originar uma produção excessiva de cera, criando uma barreira que impeça uma defesa adequada, podendo levar à surdez se não for removida por um médico da especialidade. Faça uma limpeza esporádica dos seus ouvidos, com cotonetes e peça ao seu médico para o examinar, de forma a evitar problemas no mesmo. Pode ainda adquirir na farmácia líquidos para ajudar na remoção da mesma.

Curiosidades sobre o cerume
Sabia que a cera dos ouvidos é diferente nas pessoas de diferentes raças? É verdade! O cerume dos asiáticos e nativos americanos tem uma cor cinza ou bege e é mais quebradiço e seco, enquanto que os caucasianos e afro-americanos possuem um cerume em tons castanhos, mais cremoso e pegajoso!

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!