Home Notícias Economia Negócios Cresce a demanda por CEOs para trabalharem em startups no Brasil‏

Cresce a demanda por CEOs para trabalharem em startups no Brasil‏

Publicidade

Cresce a demanda por CEOs para trabalharem em startups no Brasil‏
Foto: Pixabay
0
Publicidade

A procura por CEOs para startups cresceu consideravelmente no Brasil, em especial no estado de São Paulo, que lidera com o maior número de empreendimentos. De acordo com a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), o número de empresas deste porte chegou a 4.151 em dezembro de 2015, um crescimento de 18,5% em apenas seis meses.

Diante deste cenário, “as empresas de Executive Search locais são importantes para identificar os players, as fontes das buscas e também para entender os soft skills mais adequados para o cargo em referência”, comenta Áurea Imai, sócia da Boyden, empresa global de head hunting há mais de 40 anos no Brasil.

De acordo com Áurea, “o papel de um executivo ‘número 1’ local é necessário por conta de um background específico, como conhecimento de mercado local, principais práticas de mercado, players, canais e aspectos financeiros”. Além disso, ter um CEO na liderança ajuda a empresa a se adaptar mais rapidamente ao país. No Brasil, diferentemente de outros lugares, o entendimento cultural tem mais relevância no negócio e se sobrepõe ao que é puramente técnico.

A Boyden teve uma grande procura por startups de diversos segmentos, como o tecnológico, farmacêutico, consumo, químicos e eletrônicos, mas também de áreas de serviços, que vieram ao Brasil estabelecer uma estrutura local. De acordo com Áurea, muitas destas empresas já tinham presença no Brasil, mas atuavam através de distribuidores e representantes. Em outros casos, empresas multinacionais adquirem uma indústria ou estrutura local e, assim, solicitam aos headhunters um CEO para a operação.

Com relação a como os CEOs vêem a atuação em empreendimentos como startups, Áurea avalia que muitos profissionais se interessam por estas posições “pela possibilidade de uma atuação mais abrangente e com maior autonomia”. O perfil deste profissional deve ser “mão na massa”, pois ele terá que abrir mão de grandes equipes subordinadas e facilidades.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!