Home Notícias Mundo Coreia do Norte propõe operação conjunta com os EUA para investigar ataque à Sony

Coreia do Norte propõe operação conjunta com os EUA para investigar ataque à Sony

Coreia do Norte propõe operação conjunta com os EUA para investigar ataque à Sony
Foto: Reprodução/Daily Mail
0

A Coreia do Norte propôs neste sábado (20) uma investigação conjunta com os EUA sobre o ataque de hackers contra a Sony Pictures Entertainment, alertando para as “sérias” consequências se Washington rejeitar a proposta onde se acredita que vai provar que Pyongyang não tinha nada a ver com o ataque cibernético. As informações são do Daily Mail.

A proposta foi vista como uma manobra típica pelo Norte, para tentar mostrar que estão sendo sinceros, mesmo sabendo que os EUA nunca iria aceitar a sua oferta para uma investigação conjunta, disseram analistas. Autoridades norte-americanas culpam a Coreia do Norte pelo hackeamento, citando as ferramentas utilizadas no ataque à Sony e hacks anteriores ligada ao Norte, e prometeram uma resposta.

O ataque fez a Sony cancelar a exibição e distribuição do filme "A Entrevista". Foto: Reprodução/Daily Mail
O ataque fez a Sony cancelar a exibição e distribuição do filme “A Entrevista”. Foto: Reprodução/Daily Mail

A invasão resultou na divulgação de milhares de e-mails confidenciais da Sony e arquivos de negócios, além de ameaças terroristas que fizeram a Sony cancelar o lançamento do filme ‘The Interview’ (A Entrevista), no dia do Natal. A comédia é sobre um complô para assassinar o líder norte-coreano Kim Jong Un.

No sábado, um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Pyongyang disse que a Coréia do Norte sabe como provar que não é responsável pela ataque, dizendo que Washington está caluniando Pyongyang por espalhar rumores infundados. Na sexta-feira (19), o presidente Barack Obama declarou que a Sony ‘cometeu um erro’ ao retirar das prateleiras o filme satírico sobre um complô para assassinar o líder norte-coreano, e prometeu que os EUA iriam responder. “Eu gostaria que eles tivessem falado comigo primeiro. … Não podemos ter uma sociedade na qual algum ditador pode começar a impor censura”, disse Obama em uma entrevista coletiva de fim de ano, falando de executivos da Sony Pictures Entertainment.

A Sony disse que não tinha escolha a não ser cancelar a distribuição do filme, pois as salas de cinema estavam se recusando a exibi-lo. As opções dos EUA para agir contra a Coreia do Norte são limitadas. Os EUA já tem sanções comerciais graves no lugar, e não há apetite para a ação militar.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!