Consumidor natalense gastará, em média, R$ 122,00 no dia das crianças

O mês de outubro se aproxima, e com ele chega uma das datas comemorativas de maior movimentação no comércio varejista, o Dia das Crianças. Este ano, a expectativa é de que o consumidor natalense gaste, em média, R$ 122,00 com presentes, principalmente brinquedos (56,4%) e itens de vestuário (27%).

Dados da pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte (Fecomércio RN) mostram ainda que entre aqueles que pretendem presentear filhos, sobrinhos, netos e/ou afilhados nesta data, cerca de 53% indicaram o pagamento à vista, em dinheiro, como primeira opção, seguida da utilização do cartão de crédito na modalidade parcelada (38,1%).

Para facilitar o momento da compra e economizar, a maior parte dos natalenses (69,2%) não se deixará influenciar pelos desejos da criançada. Pesará na escolha dos itens questões como: a qualidade do produto (37,2%), o desejo das crianças (26%) e o preço da mercadoria (24,2%), acompanhada da política de descontos (8,4%).

Uma característica desta data comemorativa é a preferência pelos shoppings (55,7%) para a realização das compras, seguida do comércio de rua, que representa, ainda, 38,1% das indicações dos entrevistados. Independentemente do local escolhido, os consumidores natalenses afirmaram que irão realizar pesquisa de preço antes da decisão final sobre qual produto adquirir.

O costume de comprar o presente na véspera da data será mantido, e somente 22,6% dos entrevistados disseram que farão aquisição de produtos no período que antecede o Dia das Crianças. De certa forma, o adiamento da data da compra está ligada com a situação financeira enfrentada pelo país. Quase 75% dos consumidores da capital potiguar afirmaram ser o momento atual ruim, péssimo, ou, no máximo, regular, para ir às compras.

Quando comparado com o mesmo período do ano anterior, este Dia das Crianças chega em um momento em que 44,1% dos consumidores dizem passar por uma situação financeira familiar pior que a vivenciada em 2014, enquanto que 29,8% afirmaram estar igual, e somente 26,1% relataram que a situação financeira melhorou.

Além de movimentar o comércio tradicional, o Dia das Crianças também traz impactos para o setor de serviços, uma vez que, na data, aumenta o número de famílias (31,8%) que aproveitam para realizar alguma programação especial com a criançada. Para a escolha do local serão considerados aspectos como: diversão/lazer (40,4%), a escolha da criança (27,8%), o preço (16,6%), e o atendimento (8,5%).

Diante de um cenário econômico marcado pela elevação de taxas e redução de poder aquisitivo, dados da pesquisa indicaram que 33,3% dos consumidores natalenses, apesar da intenção de economizar, deverão gastar mais na compra do presente, tendo em vista, principalmente, a alta de preços dos produtos. Além de brinquedos e itens de vestuário, produtos como aparelhos eletrônicos, livros, cosméticos, jogos educativos, bicicletas, patins, patinetes, skates, chocolates, entre outros, circularão no comércio varejista da capital potiguar.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!