Comitê Olímpico dos EUA pede desculpas por mentira de Lochte

(ANSA) – O Comitê Olímpico dos Estados Unidos (Usoc, na sigla em inglês) pediu “desculpas” ao Rio de Janeiro e ao povo brasileiro pela mentira contada por seus quatro nadadores Ryan Lochte, James Feigen, Gunnar Bentz e Jack Conger.

Os atletas disseram que haviam sido assaltados no Brasil, mas assumiram que inventaram o caso. “Em nome do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, nos desculpamos com nossos anfitriões no Rio e com as pessoas do Brasil por essa provação e desordem em meio a algo que deveria ser a celebração da excelência”, diz a nota divulgada pelo Usoc.

Assinado pelo presidente-executivo da entidade, Scott Blackmun, o comunicado ainda afirma que “a atitude dos atletas é inaceitável e não representa os valores do Time EUA ou a conduta da vasta maioria de seus membros”. Sobre possíveis punições, a nota afirma que o caso será revisto e que “qualquer consequência para os atletas” será aplicada “quando eles voltarem aos Estados Unidos”.

O caso gerou grande repercussão mundial desde quando foi anunciado, no último domingo (14). Lochte e os outros três nadadores haviam ido para uma festa para comemorar o fim das competições da natação e, na volta, contaram que haviam sido assaltados quando estavam em um táxi.

Depois, na noite da quarta-feira (17), o multicampeão olímpico mudou a versão e disse que eles foram assaltados quando saíam de um banheiro em um posto de gasolina. Porém, imagens do circuito de segurança mostraram que o grupo causou uma confusão no estabelecimento e ainda destruiu parte do banheiro.

Segundo relato de Conger e Bentz, que foram impedidos de voltar aos EUA pela Polícia Federal, eles inventaram a história. Agora, os quatro responderão por falsa comunicação de crime à Polícia.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!