Home Notícias Brasil SP Chuva cai; nível do Cantareira não sobe e é possível que “seque” em março

Chuva cai; nível do Cantareira não sobe e é possível que “seque” em março

Publicidade

Chuva cai; nível do Cantareira não sobe e é possível que “seque” em março
0
Publicidade

A presença de um ar bastante quente e úmido ainda favorece a formação de grandes nuvens carregadas que provocam chuva de forma pontual sobre os reservatórios que abastecem a cidade de São Paulo.

Os três principais reservatórios que abastecem a Grande São Paulo registraram chuva entre a tarde de terça-feira (13) e a manhã da quarta-feira (14). Segundo informações da Sabesp, choveu 10,4mm no Sistema Cantareira, 0,6mm foram registrados no mesmo período no Alto do Tietê e no Sistema Guarapiranga os acumulados chegaram aos 2,6mm.

Crédito: Portal Clima Tempo
Crédito: Portal Clima Tempo

Dessa forma, o único reservatório que registrou uma elevação foi o Sistema Guarapiranga. O sistema Cantareira registrou uma nova queda de 0,1%. Lembrando que o Cantareira já utiliza a segunda cota da reserva técnica. No alto do Tietê a queda foi ainda maior com 0,2%.

A previsão não anima ao longo dos próximos dias. O calor ainda vai favorecer a evaporação o que auxilia na redução dos volumes disponíveis para consumo. As pancadas de chuva continuam de forma rápida e localizada e muitas vezes não ocorrem nas áreas de captação dos reservatórios.

Com todo este quadro adverso, o presidente da Sabesp, Jerson Kelman, diz que ‘é possível’ Cantareira secar em março. Jerson Kelman admitiu em entrevista ao SPTV nesta quarta-feira (14) que “é possível” que o Sistema Cantareira seque em março deste ano. A afirmação foi feita após ele ser questionado sobre uma projeção do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres do Ministério da Tecnologia.

“É possível que sim [seque em março]. Se continuar assim [regime de chuvas], é possível, por isso que nós estamos fechando. Você tem que ir fechando as torneiras”, disse Kelman. Ao falar sobre a crise hídrica na cerimônia de posse, ele afirmou ainda que “é preciso estar preparado para o pior”.

A projeção da hidróloga Luz Adriana Cuartas, do Centro Nacional de Monitoramento, mostra que, se a chuva for somente 10% da média histórica durante o verão, a água do Cantareira pode se esgotar em março. O cálculo leva em conta o volume de captação atual para o abastecimento.

Caso a chuva mantenha a média de dezembro (74,9% do previsto para o mês), a água pode acabar em junho, segundo a projeção. Algo bastante preocupante!!

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!