Home Notícias Política Candidatos para eleições de 2018 são citados na Lava Jato

Candidatos para eleições de 2018 são citados na Lava Jato

Publicidade

Candidatos para eleições de 2018 são citados na Lava Jato
Foto: Reprodução
0
Publicidade

(ANSA) – Os nomes dos principais políticos que podem se candidatar às eleições de 2018 aparecem em propostas de delações premiadas de empreiteiras relacionadas à Operação Lava Jato.

Luis Inácio Lula da Silva, do PT; Aécio Neves, José Serra e Geraldo Alckimin, do PSDB; Marina Silva, da Rede; e Michel Temer, do PMDB; foram citados nas delações de executivos da construtora Odebrecht e da OAS. Lula, que em pesquisa do Datafolha iria com folga para um segundo turno das eleições presidenciais, é alvo de cinco processos, três relacionados à Lava Jato e outros dois nas operações Janus e Zelotes e é o único político dos citados acima que já é réu.

No primeiro âmbito, Lula é acusado de de tentar obstruir as investigações e de tentar comprar a delação premiada do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, tendo participado de um esquema para tal.

O político também é réu em ação sobre uma suposta lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá e sofre a acusação de corrupção passiva em trama que envolve a Odebrecht.

Na Zelotes, Lula se tornou réu sob a acusação de lavagem de dinheiro, organização criminosa e tráfico de influência. Já na Janus, o ex-presidente teria participado de esquema envolvendo obras de empreiteira em Angola e a empresa Taiguara Rodrigues.

Já o senador Aécio Neves aparece nas planilhas que listam o recebimento de propinas da Odebrecht com o apelido “mineirinho” e teria recebido R$ 15 milhões. Aécio também é investigado por supostamente integrar uma trama de corrupção da subsidiária da Eletrobrás em Furnas e de maquiar dados do Banco Central em 2005.

O atual ministro das Relações Exteriores do país, José Serra, por sua vez, também teria aparecido em mesma lista e teria recebido R$ 23 milhões em caixa dois em 2010. E o governador de São Paulo, Geraldo Alckimin, conhecido nas mesmas planilhas como o “santo”, também teria recebido caixa dois entre 2010 e 2014.

Com apenas 4% da intenção de voto, o presidente Michel Temer foi citado 43 vezes em uma das delações da Odebrecht. E a ex-senadora Marina Silva, que venceria no segundo turno contra Lula, teria recebido, de acordo com a delação de Léo Pinheiro, que acabou sendo suspensa, caixa dois para sua campanha eleitoral de 2014 em 2010.

Publicidade

Rafael Nicácio Editor e repórter do Portal N10. Já trabalhou na Assecom (Assessoria de Comunicação do Governo do RN) e na Ascom (Assessoria de Comunicação da UFRN).
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!