Campanha de vacinação antirrábica começa na próxima semana em Natal

A meta é vacinar 60% dos cães e gatos da capital potiguar

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Natal está realizando os últimos preparativos para a Campanha Antirrábica 2017, para cães e gatos, a partir de 45 dias de nascidos. A campanha inicia em 15 de agosto e segue até 18 de outubro, tendo o Dia “D” em 7 de outubro.

O Centro de Zoonoses – responsável pela campanha, vem promovendo durante os meses de julho e agosto, ampla capacitação com os agentes de combate às endemias, agentes comunitários de saúde e voluntários dos cinco Distritos Sanitários.

De acordo com a chefe do Núcleo de Educação em Saúde do CCZ, Huyliane Souza, a capacitação tem por propósito atualizar os profissionais envolvidos na campanha, afim incorporar novos conhecimentos, para assegurar uma melhor qualidade na prestação dos serviços ofertados.

A meta de animais a ser vacinados é de 60%, algo que compreende 85.143 animais, entre cães e gatos. Em Natal existem uma população de 99.793 cães e 42.112 gatos, totalizando o número de 141.905 animais.

Campanha Antirrábica 2017
Campanha Antirrábica 2017

Raiva

É uma doença infecciosa aguda e de alta letalidade em humanos e animais. O cão, o gato e o morcego são os principais transmissores da raiva para o homem nos ambientes urbanos, entretanto mamíferos de áreas silvestres, como raposas e saguis podem contrair e transmitir a raiva, sendo, portanto, potenciais transmissores da doença.

Sintomas

O animal apresenta dificuldade para engolir água e alimentos, alta salivação, mudança repentina no comportamento. Os cães, têm o latido diferente, podendo parecer um “uivo rouco”; e os morcegos podem ser encontrados durante o dia, em hora e locais não habituais. Já o humano apresenta febre pouco intensa, mal-estar, dor de cabeça, dificuldade para engolir, náuseas, irritabilidade, inquietude, sensibilidade a luz, e ao barulho, pavor de água ou qualquer líquido (característica que remete ao outro nome da doença a “hidrofobia”). A partir de então, são frequentes ataques de terror, depressão nervosa, convulsões, acessos de fúria, alucinações visuais e auditivas, alta salivação e delírio.

Cuidados e Prevenção

Vacinar anualmente seu cão ou gato com idade a partir de 45 dias; evitar contato com animais desconhecidos; em caso de ataques por cães, gatos, morcegos ou qualquer outro animal que possa transmitir a doença deve-se seguir os procedimentos como: Lavar bem a ferida com água e sabão; procurar a Unidade de Pronto-atendimento mais próxima ou o hospital de referência do município de Natal, que no caso é o Hospital Gisela Trigueiro.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!