Bebê sobrevive ao ser jogado de prédio em chamas em Londres

Felizmente, um homem na multidão conseguiu pegar a criança

(ANSA) – Enquanto as chamas tomavam a maioria dos andares do edifício Grenfell Tower, em Kensington, Londres, pais decidiram salvar seus filhos pequenos jogando-os das janelas e esperando que pessoas na multidão que havia se formado no lado de fora do prédio pudessem pegá-los.

De acordo com diversas fontes que estavam no local e viram a cena, uma mulher no nono andar estava segurando o seu bebê no colo, embrulhado em um tipo de cobertor, e freneticamente fazia gestos de que iria jogar a criança da janela. Felizmente, um homem na multidão conseguiu pegar o bebê com segurança. Quando percebeu que a criança estava segura, a mãe voltou para dentro do apartamento. Não se sabe ao certo o destino da mulher e de seu filho. Ao jornal “HuffPost UK”, a testemunha Samira Lamrani, que estava no local, disse que “um homem correu para frente e milagrosamente segurou o bebê no momento certo e depois uma sombra, eu acredito que seja da mulher, voltou para o apartamento e isso foi a última coisa que vimos”.

Outras pessoas também afirmaram que viram outras crianças sendo jogadas das janelas do edifício em chamas. À emissora “CTV News”, o pedestre Joe Walsh disse que viu que alguém lançou duas crianças pequenas da janela do quinto ou sexto andar. Ao mesmo canal, Tiago Ethienne afirmou que outras duas crianças foram jogadas da janela do 15º andar. Já outra moradora da região, Zara, disse à “LBC Radio” que viu uma mulher jogando seu filho pequeno do sexto andar. “Uma mulher realmente jogou seu filho da janela. Eu acho que ele está ok. Eu acho que ele deve ter alguns ossos quebrados e alguns machucados”, comentou. Até o momento, essas e outras histórias do incêndio ainda não foram confirmadas. O que se sabe com certeza é que ao menos 12 pessoas morreram e outras 68 ficaram feridas no incidente. No entanto, esses números infelizmente devem podem aumentar.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!