Home Notícias Universo Astrônomos detectam tempestades violentas em Urano

Astrônomos detectam tempestades violentas em Urano

Astrônomos detectam tempestades violentas em Urano
Foto: Reprodução / Daily Mail
0

Astrônomos detectaram violentas tempestades em Urano, sua origem permanece um mistério. As tempestades foram vistas pela primeira vez em agosto, mas as imagens mais recentes revelaram que ainda estão ocorrendo. As informações são do Daily Mail.

A atividade das nuvens é tão brilhante que até astrônomos amadores tem visto sinais na atmosfera do planeta, que é 30 vezes mais longe do Sol do que a Terra. Os astrônomos observam Urano com o telescópio Keck, no Havaí detectaram oito grandes tempestades no hemisfério norte do planeta nos dias 5 e 6 de agosto.

Uma dessas era o mais brilhante já medido em Urano, respondendo por 30 por cento de toda a luz refletida pelo resto do planeta em um comprimento de onda de 2,2 microns.

Esta é a “cor” da luz que detecta nuvens logo abaixo da tropopausa, onde a pressão atmosférica é metade do que é na superfície da Terra.  Observações posteriores feitas por astrônomos amadores revelaram um ponto brilhante, que os cientistas acreditam ser uma evidência de atividade de tempestades muito mais profunda na atmosfera.

Estas imagens ópticas de Urano foram tiradas em 19 de setembro e 02 de outubro, mostrando a aparência dramática de uma tempestade brilhante em um planeta que normalmente exibe apenas uma região polar brilhante difusa. Foto: Reprodução/Daily Mail
Estas imagens ópticas de Urano foram tiradas em 19 de setembro e 02 de outubro, mostrando a aparência dramática de uma tempestade brilhante em um planeta que normalmente exibe apenas uma região polar brilhante difusa. Foto: Reprodução/Daily Mail

O astrônomo amador francês Marc Delcroix processou as imagens amadoras e confirmou a descoberta de um ponto brilhante em uma imagem. Os resultados foram apresentados pela primeira vez em uma reunião da Divisão de Ciências Planetárias da Sociedade Astronômica Americana, em Tucson, Arizona. O co-investigador Dr. Heidi Hammel, do Instituto de Ciência Espacial dos Estados Unidos, que era parte da observação inicial em agosto, disse: “Este tipo de atividade teria sido esperado em 2007, quando ocorreu uma vez a cada equinócio de 42 anos de Urano e o sol brilhou diretamente no equador”.

Nuvens brilhantes são provavelmente causadas ​​por gases como o metano subindo na atmosfera e condensando em nuvens altamente refletivas de gelo de metano. Urano não tem uma fonte interna de calor, sua atividade atmosférica foi pensada para ser conduzido apenas pela luz solar, que agora é fraca no hemisfério norte. Por isso os astrônomos foram surpreendidos quando estas observações mostraram tal atividade intensa.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!