Home Notícias Brasil RN Após três anos, Carnaúba dos Dantas sai do colapso de abastecimento de água

Após três anos, Carnaúba dos Dantas sai do colapso de abastecimento de água

Publicidade

Após três anos, Carnaúba dos Dantas sai do colapso de abastecimento de água
Foto: Divulgação
0
Publicidade

Num momento de intensa crise hídrica, um alento para os moradores de Carnaúba dos Dantas, município do Seridó localizado a 260 km de Natal: após quase três anos em colapso total de abastecimento, a água voltará às torneiras dos moradores da zona urbana.

O reabastecimento da cidade e de mais duas comunidades de Parelhas – Juazeiro e Santo Antônio do Cobra –  se dará graças à conclusão do sistema adutor inaugurado pelo governador Robinson Faria na manhã desta quinta-feira (17). Serão beneficiadas cerca de 9 mil pessoas. As obras dessa adutora estavam paralisadas desde janeiro de 2013 e foram retomadas no início de julho.

Para conclusão da obra, o Ministério da Integração (MI) financiou R$ 1,1 milhão. “Vi de perto o sofrimento destas famílias quando eu ainda estava em campanha. Vi  crianças e idosos carregando baldes de água, e  assumi comigo mesmo o compromisso de fazer o possível pra solucionar esta situação. E mesmo em um momento de crise financeira, aqui estou hoje, com a benção de Deus, entregando uma obra definitiva que vai devolver água ao povo de Carnaúba dos Dantas”, destacou o governador Robinson Faria.

A adutora tem 25 km de extensão e utilizará água do açude Boqueirão, um dos poucos reservatórios da região Seridó que ainda tem água. O secretário estadual de Recursos Hídricos, Mairton França, explicou que a cidade já entrará no sistema de rodízio, o que garantirá o abastecimento por mais tempo. “A população de Carnaúba dos Dantas já está adaptada ao racionamento, mas é sempre bom lembrar a importância do uso racional da água”, assinalou.

Para o funcionamento da adutora, será instalado no reservatório do açude Boqueirão, um equipamento tipo flutuante com duas bombas submersas para captação de água que passará por uma estação de tratamento (ETA) e depois para uma estação elevatória de água tratada. Nas comunidades de Juazeiro e Cobra serão utilizados os reservatórios já construídos pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídrico (Semarh), através do Programa de Convivência com o Semiárido (PSP).

Perto do município de Carnaúba dos Dantas, será construída uma estação elevatória que mandará, por gravidade, a água que será distribuída para a cidade. Este complexo instalado permitirá uma oferta de 32 litros de água por segundo. Um detalhe relevante é que o sistema será todo automatizado, aumentando assim sua eficiência. Este sistema adutor foi orçado originalmente em R$ 12 milhões.

O secretário executivo do Ministério da Integração Nacional, Carlos Vieira Fernandes, participou da solenidade de entrega e ressaltou a sua alegria em estar entregando uma obra definitiva e que devolverá dignidade à população da cidade. “Sou Nordestino e sei que durante muito tempo a saída para a crise hídrica era o êxodo. E entregar uma obra assim, que permite ao povo se estabelecer no seu ambiente, é uma grande alegria para nós que fazemos o Governo Federal”, afirmou, após elogiar a gestão estadual pela iniciativa. “O apoio do Ministério foi apenas a cereja do bolo”, continuou.

A obra foi executada pela construtora A.Gaspar S.A e a Coordenadoria de Infraestrutura da Secretaria dos Recursos Hídricos (Semarh) foi a responsável pelo acompanhamento e fiscalização. A operação deste sistema será de competência da Companhia de Águas e Esgotos do RN (CAERN).

Cidade com mais tempo em colapso

“Dois anos, onze meses e nove dias”. Na fala do prefeito de Carnaúba dos Dantas, Sérgio Eduardo, o tempo em que a cidade estava em colapso total transparece a angústia que a falta de água causa. “Somos a cidade do Rio Grande do Norte que estava há mais tempo sem água. Esta obra trará um alivio muito grande para a população”, afirmou, salientado que a adutora foi iniciada em 2010 e deveria ter sido concluída dois anos depois.

O prefeito explicou que o suprimento da cidade foi feito durante todo este tempo em carros-pipa, que depositavam a água em 19 chafarizes espalhados pela cidade. “Vivemos um período em que fomos forçados à adaptação, mas vivíamos a angústia de ficar na dependência de carro pipa, e de correr atrás de Recursos Federais para que a operação pipa não parasse”, ressaltou. Ainda segundo o prefeito, a obra representará um novo momento para a cidade. “Havia uma Cobrança enorme da população, ainda mais porque a obra estava perto de ser concluída. A solução seria apenas uma decisão política, e que o governador Robinson Faria teve coragem de fazer. A nossa maior alegria nesse momento é porque não houve promessa de Robinson; houve ação”, concluiu.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!